sexta-feira, julho 02, 2010

Teixeira escolherá entre bons resultados, experiência ou 'novidade' para a vaga de Dunga

http://esporte.ig.com.br/images/76/76/76/642859.us_ricardo_teixeira_esportes_225_300.jpg

por ESPN.com.br

Com a saída do técnico Dunga do comando da seleção brasileira já confirmada pelo próprio treinador durante a entrevista coletiva desta sexta-feira, logo após a eliminação da equipe nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul, diante da Holanda, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, terá de escolher entre três caminhos para definir o substituto do comandante no cargo. Seis nomes são os mais cotados.

Se optar por prestigiar os bons resultados obtidos pelos treinadores nas últimas temporadas, Teixeira deve escolher entre Mano Menezes, do Corinthians, e Muricy Ramalho, atualmente no Fluminense.

O técnico corintiano, apontado nos bastidores como o favorito à vaga e que conta com a admiração pessoal do presidente da CBF, conquistou os títulos do Brasileirão da Série B (2008), do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil (2009), além do vice-campeonato da Copa do Brasil (2008). Atualmente, Mano lidera a Série A com o Corinthians.

Muricy Ramalho, por sua vez, levantou o caneco do Brasileirão por três temporadas consecutivas, entre 2006 e 2008, no comando do São Paulo. Mas passou por um momento de baixa desde que deixou o Morumbi, fazendo um trabalho ruim e de pouca duração no Palmeiras. Parece ter novamente se reencontrado agora, pelo time das Laranjeiras.

Novidade ou filme repetido?

Outra possibilidade que Ricardo Teixeira tem à disposição é apostar em um nome que represente o que Dunga representava em 2006: a “novidade”. Nesse caso, os mais cotados são Leonardo, que dirigiu o Milan na última temporada e recentemente deixou o comando do time italiano, e o próprio Jorginho, auxiliar-técnico de Dunga na seleção e que já teve boas passagens como treinador em algumas equipes menores. Tanto Leonardo como Jorginho têm ótimo relacionamento com a cúpula da CBF.

Por fim, dois experientes treinadores que já tiveram passagens pela seleção brasileira também não podem ser desprezados na bolsa de apostas para o lugar deixado por Dunga: Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari, atualmente no Atlético-MG e no Palmeiras, respectivamente (Felipão ainda não estreou pelo time alviverde, mas já acertou seu retorno ao Palestra Itália).

Luxemburgo foi técnico do Brasil entre 1998 e 2000 e teve bons momentos como a conquista da Copa América de 1999. Mas a queda nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, e denúncias que atingiram diretamente o treinador foram determinantes para sua demissão, mesmo tendo boa relação com Ricardo Teixeira.

Entre todos os nomes cotados, o de Luiz Felipe Scolari é o que conta com o maior respaldo popular. No imaginário do torcedor brasileiro, ainda está muito viva a lembrança do pentacampeonato mundial em 2002, na Coreia do Sul e no Japão. O próprio treinador já admitiu publicamente, em entrevista recente, que aceitaria pensar na possibilidade de voltar a dirigir a seleção na Copa do Mundo de 2014, que será disputada no Brasil.

Nenhum comentário: