sexta-feira, julho 02, 2010

Técnico diz que Brasil é favorito, mas não faria troca Sneijder-Robben por Kaká-Robinho

Kaká e Robinho: treinador holandês prefere Sneijder e Robben

Kaká e Robinho: treinador holandês prefere Sneijder e Robben

Crédito da foto: AFP

por Julio Gomes, de Porto Elizabeth (África do Sul), para o ESPN.com.br


O técnico da Holanda, Bert van Marwijk, cravou o Brasil como o maior favorito para ganhar a Copa do Mundo. As duas seleções se enfrentam nesta sexta-feira, às 11h, pelas quartas de final. Questionado por um repórter brasileiro, ele rechaçou, no entanto, uma hipotética e impossível troca entre as estrelas de um time pelas do outro.

"Eu disse que o Brasil era um grande time, mas não que tinha os melhores jogadores. Não trocaria Sneijder e Robben por Kaká e Robinho", cravou o treinador.


"Eles são os favoritos número um para a Copa, mas já provamos que podemos ganhar, temos confiança. O Brasil é um time que faz seu jogo, é muito estável. Começam as jogadas sempre com seu ritmo cadenciado e, quando chegam na frente, aceleram e são extremamente perigosos. Não podemos errar na construção das jogadas e ter muito cuidado. Queremos colocar pressão no oponente. Jogar o nosso jogo, e eles o deles."

http://contenti1.espn.com.br/template/7f3aabfa-d43b-3617-a465-353832d3cdfe.jpg


O técnico holandês também sofre críticas em seu país, já que a seleção holandesa joga um futebol muito mais eficiente do que atraente. Uma história parecida com o que vive a seleção brasileira.

"Temos o mesmo problema na Holanda. Podemos jogar futebol muito bem. Há 20, 30 anos era o futebol total. E conheço o 'futebol samba'. Mas o esporte muda, o futebol também. O futebol total é coisa de muito tempo atrás. Na Eurocopa (em 2008), jogamos dois ou três jogos muito bons, mas concedemos muitas oportunidades, então quando assumi queria ensinar o time a defender melhor. No futebol, a posse de bola é importante. O futebol bonito está ligado a muitos gols. Queremos jogar de um jeito em que não queremos depender da sorte, mas sim confiar na nossa defesa."

Nenhum comentário: