terça-feira, julho 13, 2010

O retorno de... Um novo Náutico

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Geilson entregou o esquema do técnico Gallo e deve levar um "puxão de orelhas"

Com cinco mudanças no time e atuando em um esquema tático diferente, Timbu recebe o ASA

Rodolfo Bourbon - Diario de Pernambuco


Dez dias de descanso. Vinte e sete datas divididas entre treinos e regime de concentração. Uma dispensa. Uma contratação. Um novo capitão. Um novo esquema tático. Uma nova meta. Cinco substituições em relação ao último jogo. Em contrapartida, os mesmos 14 pontos e a manutenção da quarta colocação da Série B.

Para o Náutico, as mudanças oriundas dentro dos 37 dias entre o último duelo (vitória por 2 x 0 sobre o Ipatinga) e o confronto das 21h50 de hoje, diante do ASA (11°, com dez pontos), não tiraram o embalo do time. Pelo contrário. O Timbu espera provar estar ainda mais preparado para retornar à elite nacional. Quer voltar a fazer, dos Aflitos, o verdadeiro caldeirão, diferente das "mornas" presenças de público do Nordestão.

"A intertemporada serviu para nos conhecermos mais, dentro e fora de campo. Contamos bastante com o apoio da torcida. Trata-se de uma competição diferente", afirmou o meia João Henrique. Campeonato do qual o Náutico está igualmente regular.Assume a quarta posição tanto do Regional, quanto do Nacional.

João Henrique é uma das cinco novidades em relação ao jogo contra o Ipatinga. O meia assumiu a vaga de Carlinhos Bala, dispensado. O zagueiro Diego Bispo sai para a entrada de Wescley. O volante Rodrigo Pontes assume a brecha dada por Élton, recém-recuperado de contusão. Lesionados, os atacantes Bruno Meneghel e Evando desfalcam o time - Geovanni e Cristiano passam a ser os titulares. O goleiro Glédson é o novo capitão. O centroavante Geílson é o principal "homem-gol".

O status remetido ao centroavante se deve a dois motivos. Os três gols marcados contra o Fortaleza, única partida do Nordestão da qual os titulares participaram, e a ausência de Meneghel, vice-artilheiro da competição, com os mesmos cinco gols do rubro-negro Ciro, fazem as atenções dos alvirrubros se voltarem a Geílson. "Todos os jogadores, à exceção de Glédson, possuem a responsabilidade de balançar as redes. Mas estou consciente do meu dever. Se sair dos meus pés, ótimo. Contudo,a vitória é o mais importante", declarou, animado com a possibilidade de retomar a liderança - o Paraná, primeiro colocado, está a apenas um ponto de distância. "O grupo está fechado e concentrado. Ganhando, provavelmente volta ao segundo ou primeiro lugar", concluiu.

Livre do conturbado início, onde recebeu uma enxurrada de críticas e chegou a ser cogitado como dispensa certa, Geílson comemora a nova fase. "Hoje (ontem) é o aniversário da minha filha. Meu outro filho nasce daqui a um mês e meio. Estou unido com a família. E conquistei a confiança do elenco, da diretoria, do treinador e de maior parte da torcida", vibrou o centroavante, disposto a repartilhar o sorriso com os alvirrubros.

Puxão de orelha

A fase é boa, Geílson. Mas nem tudo é perfeito. O treinador Alexandre Gallo prometeu "puxar a orelha" do jogador e o chamou de "boca larga", ontem, após a coletiva de imprensa, logo quando soube das revelações do centroavante aos repórteres. Minutos antes, o atleta timbu "entregou" o esquema de jogo do Náutico. "Antes das férias, Gallo disse que testaria várias opções táticas. Depois, nós, jogadores, escolheríamos a melhor de todas. O grupo assimilou este sistema de 4-4-2. Ou seja, João Henrique e Geovanni como meias e eu e Cristiano como atacantes", respondeu à pergunta.

A tarde de ontem nos Aflitos ainda ofertou atividades recreativas ao elenco alvirrubro. O grupo participou do habitual rachão e da popular "roda de bobinho". Quem estreou em treino com a camisa alvirrubra foi o meia Francismar, recém-contratado junto ao Ipatinga. O atleta realizou testes de aptidão física. Desempenho regular.

Ponto forte

O time alagoano possui dois laterais bastante ousados e de caracaterísticas ofensivas - Marcos Tamandaré e Magal. Detém o sexto melhor ataque da competição. O treinador Vica ainda conta com a regularização de novos reforços.

Ponto fraco

Embora tenha o sexto melhor ataque da Série B, o ASA possui a ingrata condição de sexta pior defesa da competição, com 13 gols sofridos. O atacante Ciel, artilheiro da equipe por ter balançado as redes adversárias três vezes, é desfalque.

Nos Aflitos, contusões tiram quatro titulares

Autor de três gols na vitória de 4 x 1 sobre o Fortaleza, pelo Campeonato do Nordeste, Geílson (D) é esperança alvirrubra de gols.


Embora hoje ainda realize um treinamento - provavelmente um tradicional recreativo - os preparativos do Náutico para a partida contra o ASA/AL, amanhã, terminaram efetivamente na última sexta-feira. Na ocasião, o técnico Alexandre Gallo, que, quebrando a rotina, já havia divulgado o time titular no dia anterior, fez uma movimentação com apenas 12 jogadores: justamente os 11 que vão começar jogando, mais o goleiro reserva.

No treino tático, Gallo repetiu a escalação do coletivo do dia anterior: Glédson; César Prates, Walter, Wescley e Zé Carlos; Rodrigo Pontes, Ramirez, João Henrique e Giovanni; Cristiano e Geílson. O torcedor, certamente, sente falta aí de alguns jogadores. Bruno Meneghel, por exemplo, um dos destaques da equipe na Série B. Ele, juntamente com Evando, Vinícius e Élton, todos teoricamente titulares, estão machucados e não participarão da partida.

As contusões abrem espaço para algumas novas caras tomarem lugar no time alvirrubro. O meia Giovanni e o atacante Cristiano, contratados junto ao Atlético/MG, ganham uma chance como titulares. Ambos foram testados no jogo contra o Fortaleza, pelo Campeonato do Nordeste, que Gallo utilizou para dar ritmo ao atletas que vinham participando da intertemporada.

O treinador, claro, também fez observações. Precisava ver como a equipe reagiria sem um dos seus principais jogadores, Carlinhos Bala, dispensado no final do período de treinamentos. Sem ele, até o esquema de jogo - ofensivo, com três atacantes - mudou. Agora, o Náutico passa a ter dois meias de origem: João Henrique e Cristiano. Contra o Fortaleza, teoricamente, deu certo: vitória por 4 x 1, com três de Geílson. Contra resultados não há argumentos, mas é bom lembrar, porém, que o nível da Série B é outro. E o Timbu vai ter que melhorar para continuar nas "cabeças" da tabela.

Asa: desfalcado, porém confiante


O discurso positivo acerca do aproveitamento da intertemporada não se restringe aos atletas do Náutico. O período livre serviu para o ASA afiar o elenco e, principalmente, testar jogadores recém-contratados, a exemplo do meia-atacante Luiz Mário.

Apesar de não participar do Campeonato do Nordeste, o time alagoano disputou amistoso contra o Vitória-BA, ultima quarta-feira, e venceu por 2 x 0 - gols de Audálio e Cleiton. Vale ressaltar: a equipe baiana entrou em campo com inúmeros reservas.

O ASA possui três desfalques para o duelo contra o Timbu. O zagueiro Edson e o volante Rincón irão cumprir suspensão por acumularem três cartões amarelos. E o atacante Ciel está novamente envolvido em polêmica.

A diretoria não confirmou oficialmente e o site oficial do clube justificou lesão para o afastamento do jogador da partida. Contudo, um suposto ato de indisciplina do atleta pernambucano, cujo histórico de confusões é vasto, tende a forçar a rescisão de contrato.


Nenhum comentário: