quinta-feira, julho 22, 2010

O drama de Edu Matos

Edu Matos quando atuava pelo Araripina

por Leonardo Mendes Júnior, da revista ESPN

No dia 8 de maio, o futebol brasileiro voltou a registrar uma morte de jogador por parada cardíaca. O volante Fred, 26 anos, atleta do Mesquita, desmaiou no gramado do estádio Alair Corrêa, em Cabo Frio, no jogo contra a Cabofriense pela Segunda Divisão carioca. Levado a um hospital próximo, o meio-cam¬¬pista não resistiu e morreu. Uma história similar à vivida desde janeiro por uma família de Maruim, cidade a 30 quilômetros de Aracaju.

Edu Matos, três anos mais jovem que Fred, sofreu uma parada cardíaca durante a partida do seu time, o Araripina, contra o Porto, em Caruaru, pelo Campeonato Pernambucano, no dia 27 de janeiro. Nas 24 horas seguintes o coração do zagueiro ainda pararia outras seis vezes. Edu passou um mês internado em um hospital de Recife. De lá foi transferido para Sergipe com um diagnóstico desolador: sem conseguir falar, nem mover pernas e braços, passaria o resto da vida em estado vegetativo.A noiva de Edu Matos

No início de maio, Edu Matos recebeu alta e pôde voltar para Maruim. Um quarto foi adaptado para recebê-lo, com cama fornecida pelo hospital, alimentação e colchão especiais e todo o aparato necessário para o seu tratamento fisioterápico. Ficou duas semanas com a família, inclusive o dia 8 de maio, para quando estava marcado o seu casamento com a antiga namorada, Cláudia Nunes. Seus braços e pernas já apresentavam alguma flexibilidade e movimentos tímidos. No dia 14, porém, ele sofreu a oitava parada cardíaca e precisou ser internado novamente, agora em Aracaju.O irmão de Edu Matos

A família do jogador tem se revezado para acompanhá-lo no hospital. Enquanto isso, aguarda a liberação da sua aposentadoria por invalidez e o reembolso prometido pelo Araripina dos R$ 1 mil gastos na primeira viagem da família para Recife, logo após o incidente. “Estamos conversando amigavelmente. Não vamos entrar na Justiça porque demora não sei quantos anos para receber e nós não queremos esse sofrimento. Já estamos há um mês nessa peleja, mas até agora nada”, conta o irmão mais novo de Edu, Carlos Eduardo, que estima em R$ 2 mil a despesa mensal da família com o tratamento.

Segundo Valmir Bezerra, presidente de honra do Araripina, o clube concluiu no fim de maio o processo de aposentadoria do INSS e faria a rifa de uma camisa para arrecadar fundos para o jogador. Enquanto espera a solução do problema, a família Matos sonha com a recuperação de Edu e que ele possa, ao menos na vida pessoal, retomar seus planos: “Esperamos que ele ainda se case um dia”, diz o irmão Carlos.

Nenhum comentário: