quinta-feira, julho 01, 2010

Holandeses dizem que gramado está melhor do que o esperado; Dunga despreza reconhecimento

Van Marwijk decidiu trazer os jogadores para o estádio para verem as condições do campo
Van Marwijk decidiu trazer os jogadores para o estádio para verem as condições do campo
Crédito da imagem: AFP

por Julio Gomes, de Porto Elizabeth (África do Sul), para o ESPN.com.br


O gramado do estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, é um dos grandes protagonistas da partida de quartas de final da Copa do Mundo, às 11h desta sexta, entre Brasil e Holanda.

A Fifa, uma vez mais, proibiu os times de treinarem no palco da partida. O estádio, que custou aproximadamente R$ 300 milhões para ser construído, é um dos mais belos do Mundial, mas tem buracos no gramado desde os jogos da primeira fase e ficou ainda mais castigado após a chuva que atingiu a cidade durante o duelo de oitavas entre Uruguai e Coreia do Sul.

Nos últimos dias, o gramado foi coberto, e tufos foram replantados. Medidas que agradaram o técnico da Holanda, Bert van Marwijk. "Ouvi várias histórias sobre o campo nos últimos dias e a verdade é que ele está melhor do que o esperado. Você vê que peças foram colocadas. Não está bom, está um pouco duro, mas não estou desapontado", disse o treinador.

Van Marwijk decidiu trazer os jogadores da Holanda para o estádio para verem as condições do campo. Eles caminharam pelo gramado de tênis, sem chuteiras nem treino, fato desprezado por Dunga.

"Reconhecimento do campo é bom quando se consegue colocar a chuteira e entrar. Ver como gramado se comporta, se segura ou não. Só caminhar... respeito cada um. Mas é questão do jogador brasileiro, que gosta de ir e jogar, botar a chuteira, tocar a bola. Era um desgaste desnecessário. Faz (o reconhecimento) amanhã no aquecimento do jogo", disse o técnico da seleção.

Nenhum comentário: