domingo, julho 11, 2010

Holanda e Espanha desprezam cobranças de pênaltis a um dia da decisão

por Julio Gomes e Thiago Arantes, de Johanesburgo, para o ESPN.com.br

As cobranças de pênalti já decidiram a Copa do Mundo duas vezes, em 1994 e 2006. Mas Holanda e Espanha, que no domingo jogam no Soccer City pelo título do Mundial de 2010, não parecem muito preocupadas com a possibilidade de a partida ir para a disputa de penalidades.

Neste sábado, os holandeses não treinaram cobranças de pênalti na última atividade antes do jogo decisivo, dando preferência à prática de cruzamentos e finalizações. O técnico espanhol Vicente del Bosque, também desprezou os pênaltis.


"Não acredito nos treinos de pênalti. Eles não têm semelhança com o que faz no jogo. Não vejo importância em treinar", disse Del Bosque em entrevista coletiva antes do treino final dos espanhóis. A atividade foi aberta à imprensa por apenas 15 minutos, mas pelas palavras do técnico é difícil acreditar que os jogadores tenham praticado as cobranças.

A seleção holandesa tem apenas uma decisão por pênaltis em sua história na Copa do Mundo. Em 1998, a equipe foi eliminada nas semifinais pelo Brasil, após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação. Naquela disputa, os holandeses perderam por 4 a 2 com defesas de Taffarel nas cobranças de Cocu e Ronald de Boer.

A Espanha, por sua vez, tem histórico mais amplo nas decisões da marca penal, mas também não guarda boas lembranças. Em três disputas, venceu uma vez - contra a Irlanda, nas oitavas de final em 2002 - e perdeu duas, contra Coreia do Sul, em 2002, e Bélgica, em 1986, sempre nas quartas.

A última disputa de pênaltis envolvendo os espanhóis aconteceu há dois anos, nas quartas de final da Eurocopa. Diante da Itália, brilhou a estrela do goleiro Iker Casillas, que pegou as cobranças de Camoranesi e De Rossi, garantindo a vitória por 4 a 2 que manteve os espanhóis na rota rumo ao título.

Nenhum comentário: