quinta-feira, julho 22, 2010

Felipe se diz perseguido e vê atitude covarde do Corinthians

Jogador criticou o Corinthians
Jogador criticou o Corinthians
Crédito da imagem: Agência Estado
por ESPN.com.br com Agência GE


O goleiro Felipe se manifestou pela primeira vez sobre o imbróglio envolvendo sua transferência frustrada para o Genoa nesta terça-feira. Em uma nota publicada em seu site oficial, ele se disse perseguido e ainda acusou o Corinthians de tomar uma atitude covarde.

"Sou perseguido por alguém muito poderoso aqui, que põe os seus interesses pessoais na frente do clube, com o qual tenho uma história maravilhosa, pois antes mesmo de fazer a documentação necessária soltou uma nota oficial colocando-me contra a torcida sem assumir que o clube estava negociando previamente", diz o comunicado.

O goleiro não citou nomes, mas suas afirmações podem ser alusivas a Andrés Sanchez, presidente do Corinthians. Chefe da delegação brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, ele criticou do exterior o comportamento do jogador diante do interesse do Genoa.

Felipe dedicou boa parte do comunicado a defender seus empresários. "Lamento que o Clube tente tirar o foco do caso e agredir os meus representantes, atitude covarde como é a que estou passando treinando em separado. Sou muito bem orientado e isso IRRITA (sic) essa(s) pessoa (s) que me perseguem no clube", diz a nota.

O jogador ainda reclamou de seu afastamento do elenco e chegou a citar o arquirrival Palmeiras. Ele usou como exemplo o caso do lateral esquerdo colombiano Pablo Armero, que foi reintegrado ao grupo depois de ver sua transferência para o Parma fracassar.

"Não consigo entender o porquê disso comigo, porque estou treinando em separado do grupo, sem poder treinar com bola, pois vários jogadores passam por esses problemas na época de janela de transferência e ninguém é massacrado como estou sendo pelo clube", afirmou.

Confira a nota publicada no site oficial de Felipe na íntegra:

Venho ao público pela primeira vez após o meu afastamento para esclarecer alguns pontos:

a) Não fui responsável pela frustrada negociação do Genoa, aliás, esclareço que meus representantes sempre foram éticos e cumprindo as normas da FIFA colocaram os 2 clubes em contato, sendo que pelo que sei, o contrato entre os clubes não foi assinado após a aceitação da proposta pelo Corinthians devido à um bloqueio judicial no meu certificado por conta de dívidas;

b) Na minha visão e segundo o regulamento da FIFA os clubes devem se acertar antes dos jogadores, e se alguém agiu de forma precipitada foi o Corinthians que sem assinar o contrato com o Genoa (por causa do bloqueio) já contratou um substituto para minha posição e me afastou do grupo;

c) Entendo essa precipitação, pois sou perseguido por alguém muito poderoso aqui, que põe os seus interesses pessoais na frente do clube, com o qual tenho uma história maravilhosa, pois antes mesmo de fazer a documentação necessária soltou uma nota oficial colocando-me contra a torcida sem assumir que o clube estava negociando previamente.

d) Não consigo entender o porquê disso comigo, porque estou treinando em separado do grupo, sem poder treinar com bola, pois vários jogadores passam por esses problemas na época de janela de transferência e ninguém é massacrado como estou sendo pelo clube que diz que em nota oficial que sou patrimônio e que só quer me valorizar, apesar de me excluir das competições e do grupo de atletas. Cito o caso recente do colega Armero que chegou a ir para a Itália e já está disputando o Brasileirão.

e) Lamento que o Clube tente tirar o foco do caso e agredir os meus representantes, atitude covarde como é a que estou passando treinando em separado. Sou muito bem orientado e isso IRRITA essa(s) pessoa (s) que me perseguem no clube.

f) Estou quebrando o silêncio apenas para defender meus empresários, que são extremamente profissionais e as pessoas que confio, que estão em rota de colisão com a diretoria do Corinthians justamente para me defender da discriminação que estou sofrendo no clube, coisa que poucos empresários fariam por seus atletas.

A torcida merece só a VERDADE e tenho tranqüilidade que isso vai surgir no momento oportuno, da mesma forma que pretendo falar à imprensa brevemente.

São Paulo, 20 de julho de 2010.

Nenhum comentário: