quarta-feira, julho 07, 2010

Espanha supera trauma, ofusca sensação alemã e vai à sua primeira final de Copa

http://contenti1.espn.com.br/foto/grande/0_c4cb5b47-7841-33a1-a6a0-552037be5ec0.jpg

Vitória histórica da 'Fúria'

Crédito da foto: Reuters

por ESPN.com.br


A Espanha pode não estar mostrando o jogo vistoso que se esperava dela na África do Sul, mas com esse futebol participará da primeira final de Copa do Mundo de sua história. A vaga veio com vitória sobre a Alemanha por 1 a 0 nesta quarta-feira, no Estádio Moses Mabhida, em Durban. O zagueiro Puyol fez de cabeça aos 26 minutos do segundo tempo o gol histórico.

Puyol cabeceia, mas Neuer não alcança

Puyol cabeceia, mas Neuer não alcança

Crédito da foto: AFP



A ‘Fúria’, cujo apelido sempre foi questionado pelos momentos de fraqueza nas horas decisivas, não se amedrontou diante da tricampeã Alemanha e, assim como na final da Eurocopa passada – em 2008 – levou a melhor. O placar, aliás, foi o mesmo da final de dois anos atrás.

Seu adversário na decisão será a Holanda. No próximo domingo, às 15h30, no Estádio Soccer City, em Johanesburgo, um campeão inédito do Mundial será decretado: espanhóis e holandeses jamais levantaram o troféu da Fifa.

Puyol comemora o histórico gol espanhol

Puyol comemora o histórico gol espanhol
Crédito da imagem: AFP

Justiça seja feita: a Espanha não encantou nas suas atuações na África do Sul, mas hoje, contra a Alemanha, foi muito superior. A equipe do treinador Vicente Del Bosque controlou as ações do confronto desde o primeiro minuto e criou muito mais que a equipe alemã, que não foi aquele time chamado de sensação do Mundial. Sem Müller - suspenso - e com Özil e Schweinsteiger apagados, a equipe foi presa fácil.

A Alemanha não fará sua oitava final de Copa do Mundo – número que seria um recorde -, mas nem por isso seu desempenho no torneio é frustrante. Com um elenco jovem e renovado, os germânicos encantaram os sul-africanos. O duelo pelo terceiro lugar entre Alemanha e Uruguai acontece neste sábado, às 15h30, em Port Elizabeth.

O jogo

Depois de cinco minutos de posse de bola quase total da equipe espanhola, surgiu o primeiro espaço na defesa alemã. Pedro enfiou bola para Villa e o zagueiro Friederich não acompanhou. Villa se esticou para chutar e Neuer defendeu.

Pouco depois, Iniesta bateu com força da esquerda para o meio da área e o zagueiro Puyol colocou a cabeça na bola, mandando por cima do travessão. A Alemanha tentava surpreender os rivais nos contra-ataques, mas Özil não fazia bom jogo e o time sentia falta de Müller.

O primeiro e único chute a gol dos tricampeões do mundo na etapa inicial só veio aos 31 minutos. O substituto de Müller, Trochowski, arriscou rasteiro de longa distância e Casillas espalmou no seu canto esquerdo para escanteio.

Os espanhóis continuaram abusando do toque de bola no segundo tempo e logo de cara levaram perigo com Xabi Alonso. O volante chutou de fora da área com força e esteve próximo de acertar o canto esquerdo de Neuer. Na sequência, foi a vez de David Villa aproveitar ajeitada de Xavi e bater colocado perto da trave esquerda do goleiro alemão.

O sufoco continuou em bombardeio aos 12 minutos. Primeiro, Pedro chutou com força dentro da área e Neuer defendeu. Depois do rebote, Xabi Alonso deu de calcanhar, Iniesta entrou na área com velocidade e cruzou, mas Pedro não alcançou.

Iniesta invade a área alemã e por pouco a Espanha não marca

Iniesta invade a área alemã e por pouco a Espanha não marca

Crédito da foto: AFP

Pedro não alcança cruzamento de Iniesta

Pedro não alcança cruzamento de Iniesta

Crédito da foto: AFP



A pressão era toda espanhola, mas aos 23 minutos a Alemanha quase abriu o placar com sua costumaz objetividade. Podolski cruzou da esquerda e Kroos, livre, completou para grande defesa de Casillas.

Quando os tricampeões do mundo ameaçavam equilibrar a partida, a Espanha balançou a rede em bola parada. Xavi cobrou escanteio e o zagueiro Puyol cabeceou para fazer o gol da heroica classificação.

No finalzinho, a Espanha podia ter ampliado a vantagem em contra-ataques. Em um desses lances, Pedro levou a bola livre até a área rival e, ao invés de servir Fernando Torres ao seu lado, preferiu driblar os marcadores. O jovem atacante do Barcelona causou revolta em seus companheiros. Mas a vitória estava assegurada.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 0 X 1 ESPANHA

Local: Estádio Moses Mabhida, em Durban (África do Sul)
Data: 07/07/2010 (quarta-feira)
Horário: 15h30 (de Brasília)
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)
Auxiliares: Rafael Ilyasov (HUN) e Bajadyr Kochkarov (HUN)
Gols: ESPANHA: Puyol, aos 26min do 2° tempo

ALEMANHA: Neuer, Lahm, Mertesacker, Friedrich e Boateng (Jansen); Khedira (Gomez), Schweinsteiger, Trochowski (Kroos) e Özil; Podolski e Klose
Técnico: Joachim Löw.

ESPANHA: Casillas, Sergio Ramos, Puyol, Pique e Capdevila; Busquets, Xabi Alonso, Xavi e Iniesta; David Villa (Fernando Torres) e Pedro (Silva)
Técnico: Vicente del Bosque.

Nenhum comentário: