sexta-feira, julho 02, 2010

'Era Dunga' no comando termina com três títulos e fracasso em Copa e Olimpíada


Dunga venceu Copa América, Copa das Confederações e Eliminatórias, mas perdeu Mundial e Olimpíada
Dunga venceu Copa América, Copa das Confederações e Eliminatórias, mas perdeu Mundial e Olimpíada
Crédito da imagem: EFE
por ESPN.com.br


Aprovado pela grande maioria dos torcedores brasileiros antes da derrota por 2 a 1 para a Holanda, nesta sexta-feira, que custou a eliminação do Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul, o técnico Dunga ainda não sabe se vai continuar no comando da equipe nacional. Mas a tendência é de que a “Era Dunga” no comando do time canarinho tenha mesmo chegado ao final com o revés na África do Sul.

Em quase quatro anos como treinador da seleção principal, Dunga ostenta números invejáveis e um ótimo aproveitamento, mas amarga derrotas nas duas competições mais importantes disputadas pelo Brasil no período: a Olimpíada de Pequim, em 2008, e o Mundial de 2010.

Ao lado do amigo e ex-companheiro de seleção brasileira Jorginho, seu auxiliar-técnico, Dunga começou a levantar troféus em 2007, na Venezuela, quando o Brasil foi campeão da Copa América com uma vitória por 3 a 0 sobre a rival Argentina na decisão.

No ano seguinte, entretanto, a primeira grande frustração. Dunga fez questão de comandar a seleção olímpica na tentativa de trazer pela primeira vez a medalha de ouro ao futebol do país, mas justamente a Argentina foi a responsável pela eliminação do Brasil na semifinal. Aos brasileiros, restou a medalha de bronze.

Desde 2009, entretanto, Dunga, Jorginho e seu “grupo fechado” de jogadores voltaram a colecionar uma série de triunfos importantes até a derrota para a Holanda na Copa do Mundo. No ano passado, na África do Sul, a seleção brasileira foi campeã da Copa das Confederações ao vencer os Estados Unidos, de virada, por 3 a 2, na grande final, e se credenciar novamente como principal favorita ao título mundial.

Por fim, nas Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial, o Brasil tropeçou algumas vezes, mas não encontrou grandes problemas para terminar à frente das demais seleções e faturar o título simbólico no continente, assegurando a classificação antecipada para a Copa do Mundo com vitórias convincentes sobre rivais como Argentina, Chile e Uruguai.

A expectativa era das mais otimistas para o Mundial da África do Sul e, na convocação, Dunga optou por manter a base do grupo vencedor dos últimos três anos e meio e deixou de fora jovens jogadores que nunca haviam sido convocados como os santistas Neymar e Paulo Henrique Ganso. Também preteriu antigas estrelas como Ronaldinho Gaúcho e Adriano. Mas amargou a desclassificação precoce.

Nenhum comentário: