quinta-feira, junho 10, 2010

Versátil, Daniel Alves não escolhe posição e diz que não se frustra com reserva

por Julio Gomes, de Johanesburgo (África do Sul), para o ESPN.com.br


O discurso do lateral direito Daniel Alves na entrevista coletiva desta quinta-feira, em Johanesburgo, foi mais uma prova de que os jogadores da seleção brasileira estão mesmo “fechados” com o técnico Dunga. Questionado várias vezes sobre o fato de amargar a reserva na equipe mesmo sendo apontado como um dos melhores do mundo na posição, o jogador do Barcelona assegurou que não se sente frustrado com o banco. E se recusa a “escolher” em que setor atuar, se na lateral ou no meio-de-campo.


“Ser titular ou reserva não é uma preocupação. Existem as opções do treinador, e ele opta por alguns jogadores. Eu estou aqui para somar ao grupo. Estou à disposição do treinador”, afirmou Daniel. “Eu não me sinto reserva. Eu me sinto um jogador que está no grupo e que tem possibilidade de ter as minhas oportunidades. Seja um minuto ou um jogo inteiro, vou procurar aproveitar, como tenho feito habitualmente.”


Em relação à possibilidade de ganhar uma posição no meio-de-campo do Brasil durante o Mundial, já que sempre demonstrou um grande futebol em todas as vezes em que atuou no setor, o lateral direito continuou com o discurso politicamente correto.


“Estando aqui na seleção, não temos que escolher muito onde devemos jogar. Se fosse no Barcelona, eu optaria pela lateral-direita. Mas, na seleção, estou pronto em qualquer posição. Não temos que escolher, porque a qualidade do grupo é muito grande”, disse.


“Eu sempre estou preparado. Desde que comecei a trabalhar com o Dunga, procurei fazer o meu melhor com a seleção. Talvez por isso, tenho a confiança dele. Espero que as coisas possam seguir nesse caminho e que eu sempre possa entrar no jogo e fazer algo diferente”, continuou o “curinga” de Dunga. “Mas não existe nenhuma frustração por não ser titular. Estou realizando um sonho de estar participando pela primeira vez de uma Copa do Mundo. O que existe é muita alegria por estar aqui. Espero fazer o meu trabalho, independentemente de ser titular ou não.”


Comparação com 2006 e Júlio César


Daniel Alves também foi perguntado sobre os erros cometidos pela seleção brasileira durante a Copa do Mundo da Alemanha, em 2006. Ele não estava no grupo e, por isso, preferiu não polemizar. “Eu não posso falar de outros times dos quais não participei. Temos que tentar melhorar para que as coisas aconteçam da melhor forma e que os erros não se repitam”, afirmou.


Sobre a recuperação do goleiro Júlio César, que continua preocupando a equipe às vésperas da estreia diante da Coreia do Norte, Daniel Alves preferiu valorizar a qualidade dos reservas Gomes e Doni. “O Júlio César é um dos melhores goleiros do mundo. A gente teria que estar preocupado se não tivéssemos no grupo outros goleiros de qualidade como o Gomes e o Doni”, elogiou. “Eles estão preparados para uma eventualidade caso o Júlio não possa jogar. Mas a gente espera que, se ele estiver sentindo alguma dor, possa se recuperar.”

Nenhum comentário: