sexta-feira, junho 04, 2010

Procurador de Magrão acusa Maurício Cardoso

Duas contratações que oneraram o clube

Duas contratações que oneraram o clube


Adriano Magrão deixou o Náutico no fim de junho de 2009, no entanto a sua passagem pelo clube ainda dá dor de cabeça a alguns alvirrubros.



A empresa Sport News Corporation, que representava o jogador, está reclamando o pagamento de R$ 30 mil ao ex-presidente do Náutico, Maurício Cardoso, referentes à última parcela do comissionamento de R$ 100 mil pela contratação do atleta, durante a gestão de Cardoso.



A quantia deveria ter sido paga pelo clube no dia 31 de março de 2009. Ao chegar este dia, a empresa protestou dois cheques da conta pessoal de Maurício Cardoso, os quais haviam sido entregues — segundo o advogado de Cardoso no processo, Ivan Rocha — apenas como garantia da transação, e não para o pagamento de fato.



"Maurício deu um cheque pessoal em garantia de uma dívida do Náutico. Ninguém que dá uma garantia a alguém pode ser cobrado antes do suposto devedor. A empresa teria de ir na justiça cobrar do Náutico, e não ir direto no fiador", disse o advogado, que entrou na Justiça pedindo a sustação de protesto sobre o cheque de Maurício Cardoso. O juiz Dorgival Soares de Souza, da 15ª Vara Cível da Capital, deu uma liminar favorável mandando sustar o protesto.



Por outro lado, o advogado da empresa Sport News Corporation, Cassius Guerra, afirma desconhecer que o cheque era apenas de garantia. "Em nenhum momento foi-me passado que os cheques fossem apenas uma garantia. No contrato (termo de pactuação de pagamento de comissionamento, que você vê abaixo) se falava dos cheques. Não tinha nada de transferência bancária, e sim do cheque", afirmou.



O processo movido por Cardoso, em que a Sport News Corporation foi colocada como réu, está em fase de conclusão para despacho. As partes aguardam a sentença do juiz Dorgival Soares de Souza, da 15ª Vara Cível da Capital.



O advogado Cassius Guerra declarou ao Blog do torcedor que pretende entrar com uma ação de cobrança dos R$ 30 mil, mas, por enquanto, não terá nenhuma ação contra Maurício Cardoso ou contra o Náutico. "Eu (Sport News Corporation) sou réu no processo. Só posso cobrar depois de resolver o processo", afirmou.



O que está sendo estudado por Guerra é justamente o que sugeriu o advogado Ivan Rocha. "Diga a ele que vá processar o Náutico. O Náutico não pagou por que o cara nunca foi lá cobrar. Por que eles não tiveram coragem de ir pedir ao Náutico?", disse.



Apesar dessa justificativa, Rocha deu um outro argumento para o Náutico não ter pago. Os R$ 100 mil, que no contrato constavam como referentes ao comissionamento, seriam as luvas pela contratação do atleta, e o Náutico teria chegado a um acordo acordo bilateral com Adriano Magrão, que teria aberto mão dos R$ 30 mil. "Adriano Magrão fez um acordo para sair, assinando o termo de rescisão de contrato. Ele recebeu um valor da rescisão", disse.



O advogado Cassius Guerra enviou ao Blog do Torcedor um vídeo no qual dá a sua versão do caso:



Nenhum comentário: