terça-feira, junho 08, 2010

Pelé aponta Brasil e Espanha como favoritos, mas cobra santistas na Seleção


O vôo que me trouxe a Johanesburgo foi muito concorrido, lotado de jornalistas brasileiros e torcedores sul-americanos, com camisas e bandeiras de Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. Mas uma pessoa, claro, chamou mais atenção do que as outras. Para não criar tumulto, ele só entrou no avião depois que todos os outros passageiros já tinham embarcado e sentou na primeira fileira da primeira classe: o Rei Pelé.

Mas logo a notícia da presença do maior jogador de todos os tempos se espalhou pelo avião. Difícil foi arrancar algumas palavras do Rei. Não por causa de Pelé, sempre solícito e simpático, mas pela resistência dos comissários de bordo, que tentavam a todo custo tirar repórteres e curiosos que invadiram a primeira classe.

No fim, foi o próprio Rei quem convenceu os funcionários da companhia aérea a deixá-lo atender às pessoas. Tirou fotos com fãs e respondeu a duas perguntas sobre a Seleção Brasileira, que estreia na Copa do Mundo no dia 15 de junho contra a Coréia do Norte. Só não falou mais porque o chefe dos comissários atrapalhou. Pelo menos deu tempo de Pelé apontar os favoritos para Copa e dizer que confia na Seleção de Dunga, apesar de ter cobrado a presença de mais santistas no time.

“O mundo inteiro sabe que eu apoiei o Dunga quando ele assumiu a Seleção. Acho que ele foi coerente, mas, se dependesse da minha vontade, o time do Santos todo estaria aqui porque fez uma boa campanha e foi campeão paulista. O que acontece é que o Dunga sabe que ele tem um time bom na mão. A equipe é forte e eu confio na equipe”, afirmou Pelé, que acredita que o Brasil é, ao lado da Espanha, o maior favorito à conquista do título.

“A Espanha vem sendo a melhor equipe da Europa e o Brasil a melhor da América Latina. Essas duas equipes devem estar entre os quatro semifinalistas. Mas não podemos esquecer da Itália, da Argentina e da Inglaterra”, analisou o Rei, que fez questão de elogiar a qualidade do time comandado por Diego Maradona.

“Se formos ver individualmente, a Argentina está com grandes jogadores e com atacantes vivendo bons momentos”, disse Pelé, se referindo ao que fizeram na última temporada Mesii, Diego Milito, Carlitos Tevez e Higuaín.

Além de Pelé, outra lenda viva do futebol mundial estava no avião: o uruguaio Ghiggia, autor do gol da vitória do Uruguai sobre o Brasil na Copa de 1950. Curiosamente, foi o Maracanazo, como ficou conhecida aquela trágica derrota, que despertou em Pelé a vontade de chegar à Seleção Brasileira. Ao ver o pai, Dondinho, chorando depois daquele jogo, o então menino de apenas nove anos, prometeu ao parente que iria ser jogador de futebol e que um dia apagaria aquela tristeza. Deu no meu deu! Pelé foi campeão do mundo em 1958, 1962 e 1970 e virou o maior craque que o planeta já viu brilhar pelos campos de futebol.

por Fernando Gavini

ESPN.COM.BR

Nenhum comentário: