sexta-feira, junho 11, 2010

México arranca empate no fim e frustra 'dancinha' sul-africana na abertura da Copa


Jogadores sul-africanos fizeram dancinha após o gol, mas cederam  empate ao México

Jogadores sul-africanos fizeram dancinha após o gol, mas cederam empate ao México


Crédito da imagem: AFP

por Julio Gomes, de Johanesburgo (África do Sul), para o ESPN.com.br


Na esperada partida de abertura da Copa do Mundo da África do Sul, a seleção dos Bafana Bafana saiu na frente no segundo tempo, deixou a torcida local enlouquecida nas arquibancadas do Soccer City, mas acabou cedendo o empate ao México no fim do jogo: 1 a 1, em partida disputada nesta sexta-feira, no estádio Soccer City, em Johanesburgo.


Com o resultado, as duas equipes somam seu primeiro ponto no grupo A do Mundial, que também conta com França e Uruguai. O principal objetivo dos sul-africanos é passar às oitavas de final e não se tornarem a primeira seleção anfitriã da história a ser eliminada logo na primeira fase.


O técnico Carlos Alberto Parreira, da África do Sul, também fez história nesta sexta-feira: ele se igualou a Bora Milutinovic como o treinador que mais vezes participou de uma Copa do Mundo (em seis ocasiões, por cinco seleções diferentes). Durante a partida desta sexta, um momento curioso envolvendo o técnico brasileiro: ele foi flagrado pelas câmeras de TV fazendo um gesto que, no Brasil, é considerado ofensivo, mas na África do Sul significa, na verdade, a cobrança por mais empenho a seus jogadores.


O jogo


A partida começou movimentada e, logo no início do jogo, os mexicanos mostraram que realmente adotavam uma postura ofensiva com seu trio de ataque diante dos anfitriões. Aos dois minutos, Aguilar foi lançado pela direita e cruzou com muito perigo para a área, a zaga sul-africana marcou bobeira, e a bola sobrou para Giovani dos Santos, que foi travado na hora do chute.



Visivelmente nervosa nos primeiros minutos de partida, a seleção sul-africana esboçou a primeira chegada com perigo aos sete minutos, quando Pienaar fez boa jogada invidual pela esquerda. Mas, na hora do cruzamento, a bola saiu sem direção, facilmente dominada pela defesa do México. Aos nove, Gaxa tabelou com Modise pela direita, mas o jogador saiu de campo com bola e tudo e desperdiçou uma boa oportunidade.



O México voltou a assustar a torcida local aos 15 minutos. Giovani dos Santos acionou Aguilar pela direita, o jogador tentou se livrar da marcação de Thwala, mas o marcador sul-africano colocou para escanteio. Na cobrança, Franco, de cabeça, mandou por cima do gol de Khune. Aos 17 minutos, em cobrança de falta, a África do Sul ameaçou com uma boa cobrança de Pienaar, por cima do goleiro mexicano Pérez.



Mas a melhor oportunidade do primeiro tempo aconteceria aos 18 minutos de partida. Na velocidade, Giovani dos Santos roubou a bola no meio-de-campo e disparou, ganhando da marcação sul-africana. Ele arriscou um chute forte da entrada da área, mas a bola foi por cima, rente ao travessão.



Os anfitriões responderam aos 23, e o goleiro Pérez quase entregou o ouro após cruzamento perigoso da direita. Cinco minutos depois, aos 28, novamente pela direita, Pienaar ganhou da marcação de Torrado e levantou para a área, nas mãos do goleiro Pérez. O México teve mais uma ótima chance de abrir o placar aos 32, quando Giovani lançou Vela na área, mas o goleiro Khune saiu para fazer a defesa. O mesmo Vela desperdiçou outra oportunidade clara de gol aos 34, mas chutou cruzado, sem direção, à direita do gol sul-africano.



O trio de ataque do México intensificou a pressão sobre a África do Sul no fim da etapa inicial. Vela, sempre ele, dominou pela direita e foi cortando a zaga sul-africana até rolar para Franco, que foi travado pela zaga, ganhando o escanteio. Na cobrança, Giovani dos Santos levantou, Franco desviou e a bola sobrou para Vela, que tocou para marcar o primeiro gol. Mas ele estava impedido, e a arbitragem invalidou corretamente o lance.



1º gol é Bafana Bafana



Na etapa complementar, o time do técnico Carlos Alberto Parreira voltou a campo com uma alteração – Masilela entrou no lugar de Thwala. Mas o panorama do jogo não se alterou muito nos primeiros minutos do segundo tempo, com a seleção mexicana tendo mais domínio da posse de bola no meio-de-campo.



Entretanto, quem saiu na frente no placar foi a seleção anfitriã, que fez o primeiro gol da Copa do Mundo de 2010. Aos nove minutos, em um rápido contra-ataque, ao melhor estilo “mexicano”, Tshabalala foi lançado por Mphela pela esquerda, invadiu a área e chutou cruzado, forte, no ângulo superior esquerdo do gol de Pérez: 1 a 0, para a alegria dos torcedores sul-africanos que lotaram o Soccer City. E festa geral das vuvuzelas, é claro.



Tshabalala foi o autor do primeiro gol da Copa do Mundo e fez  'explodir' o Soccer City

Tshabalala foi o autor do primeiro gol da Copa do Mundo e fez 'explodir' o Soccer City
Crédito da imagem: AFP

Os mexicanos responderam aos 14 minutos, quando Giovani dos Santos fez boa jogada individual pela direita, se livrou da marcação adversária e chutou cruzado, por cima do gol de Khune. Mas as melhores chances depois do primeiro gol continuaram sendo da África do Sul, que se aproveitou do nervosismo e da lentidão dos mexicanos.



O velho ditado do “quem não faz, toma” se confirmou aos 33 minutos, quando o México chegou ao gol de empate. Após cruzamento de Guardado pela esquerda, Rafa Márquez aproveitou da falha de Khumalo, dominou com categoria e tocou na saída do goleiro Khune: 1 a 1.



FICHA TÉCNICA
ÁFRICA DO SUL 1 X 1 MÉXICO



Local: Estádio Soccer City, em Johanesburgo (África do Sul)
Data: 11/06/2010 (sexta-feira)
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Gols: Tshabalala (África do Sul), aos 9 minutos do segundo tempo; Rafa Márquez (México), aos 33 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Dikgacoi e Masilela (África do Sul) e Juarez e Torrado (México).



ÁFRICA DO SUL: Khune; Gaxa, Khumalo, Mokoena e Thwala (Masilela); Dikgacoi, Pienaar (Parker), Letsholonyane, Modise e Tshabalala; Mphela.
Técnico: Carlos Alberto Parreira.



MÉXICO: Pérez; Juárez, Márquez, Rodríguez e Salcido; Torrado, Osorio e Aguilar; Vela (Blanco), Franco (Javier Hernández) e Giovani dos Santos.
Técnico: Javier Aguirre.

Nenhum comentário: