quinta-feira, junho 17, 2010

Messi brilha de novo, Higuaín faz três, Argentina vence e fica perto das oitavas

http://contenti1.espn.com.br/foto/grande/0_f5f60293-a8bd-3423-92ea-d8d87c72614b.jpg


por Julio Gomes, de Johanesburgo (África do Sul), para o ESPN.com.br


Com mais uma atuação brilhante de Lionel Messi e três gols de Higuaín, já artilheiro do torneio, a Argentina goleou a Coreia do Sul por 4 a 1, nesta quinta-feira, no Estádio Soccer City, em Johanesburgo, e deu um grande passo rumo à classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo.



Como já havia vencido a Nigéria na estreia por 1 a 0, a Argentina chega aos seis pontos em dois jogos e pode se garantir na próxima fase já nesta quinta-feira, caso a Grécia não vença os nigerianos no outro jogo do grupo B.


O encontro entre argentinos e sul-coreanos repetiu duelo do Mundial de 1986, o último vencido pela Argentina, quando o time sul-americano ganhou por 3 a 1. Na ocasião, o atual técnico da Coreia do Sul, Huh Jung-moo, atuou no meio-de-campo e marcou Maradona, atual treinador da Argentina.


Na terceira e última rodada do grupo B, a Argentina fecha sua participação contra a Grécia no dia 22 de junho, em Polokwane, às 15h30 (horário de Brasília). Os sul-coreanos, por sua vez, entram em campo no mesmo dia e horário, em Durban, diante da Nigéria.



Higuaín marcou três e é o artilheiro da Copa do Mundo até aqui
Higuaín marcou três e é o artilheiro da Copa do Mundo até aqui


O jogo


O técnico da Coreia do Sul, Huh Jung-moo, armou sua equipe ao estilo da Coreia do Norte diante do Brasil e da Suíça contra a Espanha – com dez jogadores atrás da linha da bola. O time asiático deixou claro desde o início da partida que sua maior preocupação era deixar o Soccer City pelo menos com um empate. E marcar os argentinos, antes de tentar construir jogadas de ataque.


A primeira boa jogada da partida foi da Argentina, que tomou a iniciativa do jogo como já se esperava. Logo aos três minutos, Tevez e Di María fizeram boa tabela pela esquerda, e a bola sobrou para o próprio Di María chutar com perigo, cruzado, à direita do gol de Sung-Ryong.


Com dificuldades no início diante da forte marcação sul-coreana, a Argentina voltou a ameaçar aos 15 minutos e contou com a sorte para abrir o placar no Soccer City. Em cobrança de falta pela esquerda, Lionel Messi levantou para a área em direção ao zagueiro Samuel, mas o sul-coreano Chu-Young desviou contra seu próprio gol e marcou contra: 1 a 0 para os argentinos.


Três minutos depois, aos 18, a Coreia do Sul quase chegou ao empate e assustou a Argentina: Sung-Yueng dominou na intermediária e arriscou um chute forte, mas a bola passou por cima do gol de Sérgio Romero. Aos 20 minutos, o experiente Walter Samuel, de 32 anos, sentiu uma lesão muscular sozinho, teve de ser atendido fora de campo e acabou sendo substituído por Burdisso. É mais uma preocupação para Diego Armando Maradona, que já não pôde contar com o meia Verón diante dos sul-coreanos.


Em outra oportunidade de bola parada, a Argentina levou perigo ao gol adversário aos 25 minutos. Carlitos Tevez cobrou falta da entrada da área, chutou forte, e a bola passou rente ao travessão sul-coreano. Mas o segundo gol do time de Maradona não demoraria a sair. Aos 33 minutos, Maxi Rodriguez cruzou da esquerda e Higuaín, de cabeça, subiu mais que toda a zaga da Coreia do Sul e só tocou para as redes: 2 a 0.


A superioridade argentina continuou até o fim da primeira etapa. Após levantamento da direita, o goleiro sul-coreano Sung-Ryong saiu mal e rebateu a bola nos pés de Di María. O jogador argentino dominou com categoria e chutou forte, mas desta vez o arqueiro rival fez bela defesa. Aos 43, Messi apareceu dando show: ele fez ótima jogada individual, passou por três marcadores adversários e deu um toquinho por cobertura, mas a bola caprichosamente passa à esquerda do gol rival.


Mas uma incrível falha de Demichelis já no fim do primeiro tempo fez a Argentina ir para o intervalo com uma vantagem menor no placar. Aos 45 minutos, após uma bola lançada para o ataque sul-coreano, o jogador deu de presente para Lee Chung-Youg, na entrada da área argentina, e o jogador da Coreia do Sul tocou na saída de Romero e diminuiu para os asiáticos.


No segundo tempo, a Argentina criou a primeira ótima chance de gol aos seis minutos. Di María recebeu lindo passe pela esquerda, dentro da área sul-coreana, e rolou para Higuaín. Mas o atacante argentino, de primeira, chutou mal e desperdiçou a oportunidade. Aos oito, foi a vez de Tevez dominar e chutar forte da entrada da área, mas o goleiro Sung-Ryong fez mais uma boa defesa.


Os comandados de Maradona tomaram um grande susto aos 12 minutos, quando Kim Namil disparou com a bola dominada pela direita, sem marcação, invadiu a área, esperou a saída do goleiro Romero, mas chutou para fora, desperdiçando a chance do empate. Foi a melhor chance da Coreia do Sul no jogo.


Decisivo, Messi voltou a participar diretamente de um gol da Argentina e praticamente definiu a vitória aos 31 minutos. O craque do Barcelona disparou em velocidade pela esquerda, invadiu a área e chutou forte, mas a bola bateu na trave antes de sobrar para Higuaín só tocar para as redes: terceiro da Argentina, segundo de Higuaín no jogo. Aos 36, Higuaín, de novo, completou bela jogada de Messi e Agüero e fez o seu terceiro na partida, quarto da Argentina. Vitória garantida e classificação muito próxima.


FICHA TÉCNICA
ARGENTINA 4 X 1 COREIA DO SUL


Local: Soccer City, em Johanesburgo (África do Sul)
Data: 17/06/2010 (quinta-feira)
Horário: 8h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Frank de Bleeckere (BEL)
Assistentes: Peter Hermans (BEL) e Walter Vromans (BEL)
Público: 82.174 torcedores
Gols: Chu-Young (contra), aos 15; Higuaín (Argentina), aos 33 minutos do primeiro tempo e aos 31 e 36 do segundo; e Lee Chung-Youg (Coreia do Sul), aos 45 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Ki-Hun e Chung-Yong (Coreia do Sul); Mascherano, Heinze e Gutiérrez (Argentina).


ARGENTINA: Sérgio Romero; Jonás Gutiérrez, Martín Demichelis, Walter Samuel (Burdisso) e Gabriel Heinze; Javier Mascherano, Maxi Rodríguez e Ángel Di María; Lionel Messi, Carlos Tévez (Agüero) e Gonzalo Higuaín (Bolatti).
Técnico: Diego Maradona.


COREIA DO SUL: Sung-Ryong; Beom-Seok, Yong-Hyung, Jung-Soo, Young-Pyo; Sung-Yueng (Kim Namil), Jung-Woo; Lee Chung-Youg, Ki-Hun, Park Ji-Sung; Chu-Young (Dong-Gook).
Técnico: Huh Jung-moo.

Nenhum comentário: