quarta-feira, junho 02, 2010

Exclusivo Givanildo Oliveira fala pela primeira vez depois de saída do Sport


Lateral-direito Renato não pôde ser promovido porque não tinha exame cardiológico exigido pela FPF.


O técnico Givanildo Oliveira concedeu uma entrevista inédita ao Superesportes, na manhã desta quarta-feira. A conversa durou aproximadamente 15 minutos e o treinador pernambucano abordou diversos assuntos. Givanildo falou de sua saída, da torcida, do time, do futuro... E disse com exlusividade que o lateral-direito Renato só não atuou no Campeonato Estadual porque não tinha um exame cardiológico exigido pela Federação. Essa foi a primera vez que o treinador falou com a imprensa depois de sua saída do Sport.


Saída do Sport
Quando um clube grande perde uma sequência de jogos, fica difícil. Eu entendo a cobrança da torcida, ela quer vitórias. Coloquei meu cargo à disposição e voltei atrás, pois o grupo pediu para eu ficar, mas não conseguimos vencer e achei melhor sair. Não havia mais clima. Conversei com o presidente naturalmente, numa boa. Saí sem problemas. Ele(Sílvio Guimarães) disse que as portas do clube estão abertas para mim.


Time
É complicado falar depois que a gente sai. Vou torcer para os jogadores reverterem essa situação. Acho que a parada por conta da Copa do Mundo vai ajudar na recuperação do grupo. Torcerei pelo Sport, já disse que sou pernambucano e sou bairrista. Quero ver Sport, Náutico e Santa Cruz na Primeira Divisão.


Imprensa
Estou lhe atendendo agora porque ainda não havia falado nada com ninguém, mas a imprensa às vezes é maldosa. A gente fala uma coisa num dia, no outro acorda e lê um monte de coisas que não dissemos. É complicado.


Mágoa
Não fiquei magoado por ter saído. A gente fica triste. Queria ter ficado até o fim do ano, queria ter subido o Sport, mas não deu. Futebol é assim. Não é a primeira vez que sairei de um clube. O que precisa ser lembrado é que fui pentacampeão. Isso é importante ser lembrado, pois não foi nem um pouco fácil.


Renato
É bom lembrar que eu não pude contar com muitos jogadores. O Renato, por exemplo, ele não podia jogar no Campeonato Pernambucano porque não tinha um exame cardiológico que era obrigatório (a Federação Pernambucana de Futebol exige apresentação deste exame para inscrição do atleta na competição). Ele era pra ter subido para o profissional há muito tempo. Assim que pude eu promovi a subida dele, ele entrou no decorrer do jogo contra o Icasa.


Futuro
Aina não tenho nada definido. Realmente recebi uma proposta do Ipatinga/MG, mas não tem nada acertado. Estou estudando algumas propostas, mas não tenho preconceito. Poderei jogar na Série A, B ou C, como foi no ano passado e fui campeão. Sou profissional e não posso ter preconceito, tenho que analisar a proposta de cada clube.

Nenhum comentário: