sábado, junho 26, 2010

Esperança africana, Gana vence os EUA na prorrogação e enfrenta o Uruguai

http://contenti1.espn.com.br/foto/grande/0_409089e9-4080-3807-97a6-07fe881b6894.jpg

Gyan, autor do gol da vitória de Gana na prorrogação

Crédito da foto: Reuters

por ESPN.com.br

Gana, única remanescente da África na Copa, venceu os Estados Unidos por 2 a 1 neste sábado na prorrogação e honrou o nome dos ‘donos da casa’ na competição classificando-se às quartas de final. Boateng marcou no primeiro tempo, Donovan empatou no segundo, e Gyan fez no tempo complementar. Os ganeses terão pela frente fase seguinte o Uruguai, que mais cedo passou pela Coreia do Sul. O jogo acontece na próxima sexta-feira, às 15h30, em Johanesburgo.

As ‘Estrelas Negras’ já fazem melhor campanha do que no primeiro Mundial que participaram, em 2006, quando foram eliminadas pelo Brasil justamente nas oitavas. Caso vença os uruguaios, o time conquistará dentro da África do Sul o melhor desempenho de um africano na história dos Mundiais. Camarões – em 1990 – e Senegal – em 2002 – já alcançaram as quartas de final anteriormente, mas nunca as semis.

A partida de hoje no Estádio Royal Bafokeng mostrou duas defesas inconsistentes. Ambos os times falharam muito atrás e permitiram que os respectivos ataques marcassem. O ganês Boateng conseguiu aproveitar no primeiro tempo, fazendo o primeiro tento com rolando de seu time no torneio – antes, Gana só havia marcado de pênalti. Donovan fez o mesmo de pênalti na etapa final e levou o duelo para a prorrogação.

No tempo complementar, Gyan aproveitou nova bobeada, desta vez de Bocanegra, para dar números finais ao confronto. Estados Unidos e Gana já tinham se enfrentado em um duelo de Copa do Mundo anteriormente, no Mundial passado. Os ganeses também levaram a melhor daquela vez, vencendo por 2 a 1 na fase de grupos.

Estadunidense Feilhaber chuta com liberdade, mas para em boa defesa de Kingson

Estadunidense Feilhaber chuta com liberdade, mas para em boa defesa de Kingson

Crédito da foto: Reuters

A partida

Logo aos quatro minutos os ganeses abriram o placar no primeiro lance de perigo na partida. O meia Clark perdeu bola no meio campo e permitiu que Boateng fizesse jogada individual. O ganês carregou a bola até à área e chutou rasteiro. Howard não alcançou. Festa para Boateng, alemão de nascimento que, diferentemente de seu irmão, convocado para a seleção germânica, decidiu defender a pátria de seu pai.

As principais jogadas da partida surgiam de erros das respectivas defesas. Como aos 17 minutos, quando Cherundolo fez falta dura atrás, e permitiu que Gyan cobrasse falta perigosa defendida pelo goleiro dos EUA.

Os Estados Unidos tiveram chance de marcar momentos depois. O volante Bradley, filho do treinador do time, recebeu bom passe pela esquerda, cruzou com liberdade, mas foi interceptado pelo goleiro Kingson. No final da primeira etapa as duas equipes estiveram próximas de balançar a rede. Primeiro foi a vez dos EUA. Findley recebeu bola livre cara a cara com Kingson, que defendeu bem com os pés.

Na sequência, Kingson cobrou tiro de meta, Demerits deixou passar, e Asamoah aproveitou. Howard defendeu o arremate e impediu que os africanos fossem para o intervalo com uma vitória mais larga.

Na volta do intervalo, o técnico Bob Bradley colocou trocou um atacante pelo outro ao colocar Feilhaber na vaga de Findley e logo nos primeiros instantes o jogador quase empatou a partida. Altidore fez o pivô e serviu Feilhaber. O chute parou em grande defesa de Kingson.

Kingson escolheu o canto errado e só observou a bola entrar

Kingson escolheu o canto errado e só observou a bola entrar

Crédito da foto: AFP

Os EUA partiram para cima para conquistar a igualdade e deixaram espaços na retaguarda. Gana quase fez mais um quando Ayew jogada em velocidade pela direita e entou encontrar Asamoah do outro lado da área com cruzamento. A zaga estadunidense não deixou

Jonathan 'atropela' Dempsey no lance que causou o pênalti para os EUA

Jonathan 'atropela' Dempsey no lance que causou o pênalti para os EUA

Crédito da foto: AFP

Aos 14 minutos Jonathan acertou rival de forma violenta dentro da área, mas o juiz não marcou nada. No minuto seguinte, Dempsey passou pela marcação com habilidade e foi ‘atropelado’ por Jonathan, que recebeu amarelo e não enfrenta o Uruguai. Desta vez o árbitro assinalou a infração. Líder do time, o meia Landon Donovan cobrou. A bola bateu na trave e entrou.

Os norte-americanos não diminuíram o rítmo e podiam ter virado o marcador. Aos 32 minutos, Bradley invadiu a área e rival, mas chutou muito fraco. Logo depois, Altidore 'brigou' com Jonathan e conseguiu bater para o gol. A bola passou perto da trave esquerda de Kingson. A partida foi para a prorrogação.

Howard não alcançou chute de Gyan

Howard não alcançou chute de Gyan

Crédito da foto: AFP

Assim como nos 90 minutos, Gana marcou no começo da prorrogação. Aos dois minutos, a zaga estadunidense voltou a ‘bater cabeça’. Bocanegra trombou com Gyan e enquanto o zagueiro procurava a bola, o atacante chutava forte para dar a vitória aos africanos. Os EUA ainda se lançaram ao ataque para forçar a disputa por pênaltis. Mas a pressão norte-americana parou na ‘retranca’ ganesa e nas mãos de Kingson.

FICHA TÉCNICA:
ESTADOS UNIDOS (1) 0 X 1 (1) GANA

Local: Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo (África do Sul)
Data: 26 de junho de 2010 (Sábado)
Horário: 15h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Kassai (Hungria)
Cartões amarelos: Clark, Cherundolo, Bocanegra (EUA) Jonathan (GAN)
Gols: EUA: Donovan, aos 16min do 2° tempo
GANA: Boateng, aos 4min do 1° tempo e Gyan, aos 2min do 1° tempo da prorrogação

ESTADOS UNIDOS: Tim Howard; Steve Cherundolo, Jay DeMerit, Carlos Bocanegra e Jonathan Bornstein; Michael Bradley, Clark (Edu), Clint Dempsey e Landon Donovan; Robbie Findley (Feilhaber) e Josy Altidore (Gomez)
Técnico: Bob Bradley

GANA: Richard Kingson; Inkoom (Muntari), John Pantsil, John Mensah, Jonathan Mensah e Hans Sarpei (Addy); Anthony Annan, Kevin Prince Boateng (Appiah), Kwadwo Asamoah e Andre Ayew; Asamoah Gyan
Técnico: Milovan Rajevac

Nenhum comentário: