domingo, junho 20, 2010

Briga e ato rebelde após corte de Anelka fazem França despedaçar na África

Raymond Domenech lê carta dos jogadores aos jornalistas
Raymond Domenech lê carta dos jogadores aos jornalistas
Crédito da imagem: AFP

por ESPn.com.br com Agência Reuters


Os jogadores da seleção francesa se recusaram a entrar em campo para realizar o treinamento aberto determinado pela Fifa por causa da expulsão do atacante Nicolas Anelka da delegação, explicaram em uma carta divulgada neste domingo. Cerca de 200 pessoas esperavam para assistir.


Tudo começou com uma discussão entre o capitão Patrice Evra e o preparador físico Robert Duverne. Suspeita-se que a causa da briga tenha a ver com a declaração do lateral esquerdo no último sábado, quando ele defendeu Anelka e disse que o problema era que havia um "traidor" na delegação.



A sessão pública estava prestes a começar quando uma calorosa discussão começou no centro de campo entre ambos. O técnico francês, Raymond Domenech, teve que intervir e separá-los.


Os jogadores então deixaram o campo e caminharam em direção ao ônibus, um dia após o atacante Nicolas Anelka ter sido cortado da delegação por ter insultado Domenech no intervalo da derrota de 2 a 0 para ao México na quinta-feira.


"Todos os jogadores do elenco francês, sem exceção, gostariam de afirmar sua oposição à decisão tomada pela Federação Francesa de Futebol de excluir Nicolas Anelka", diz o comunicado.


Para completar o ambiente conturbado na seleção francesa, o diretor da federação de futebol Jean-Louis Valentin deixou o cargo depois do incidente entre Evra e o preparador físico.

Nenhum comentário: