sábado, junho 19, 2010

Anelka entra na lista dos indisciplinados cortados em Copas do Mundo


por ESPN.com.br com Agência Efe


O atacante francês Nicolas Anelka acrescentou neste sábado seu nome à lista dos jogadores indisciplinados expulsos de uma Copa do Mundo por ter insultado o técnico Raymond Domenech. O incidente ocorreu nos vestiários, durante o intervalo da derrota para o México por 2 a 0 na última quinta, e foi revelado pelo diário esportivo francês "L'Equipe".


Várias exclusões de jogadores foram registradas na história das Copas do Mundo, geralmente impulsionadas por atos de indisciplina. Em 2002, no Mundial da Coreia do Sul e do Japão, o esloveno Zlatko Zahovic foi expulso por sua federação após uma dura discussão com seu treinador. Neste mesmo Mundial, o irlandês Roy Keane foi cortado por discutir com o técnico Mick Mccarthy por causa das más condições do campo de treinamentos da Irlanda.


Na Copa da França, em 1998, o astro colombiano Faustino Asprilla foi expulso da seleção por não aceitar uma substituição. O jogador chegou a pedir perdão em uma carta aberta, mas seu pedido para voltar à equipe não foi aceito.


O Mundial da França tinha começado com a comoção da exclusão de Paul Gascoigne da seleção inglesa. Inicialmente, 'Gazza' teria sido cortado por estar longe de sua forma física, mas depois o técnico Glen Hoddle contou que o jogador tinha organizado uma festa na concentração da Inglaterra.


Na Copa de 1994, nos Estados Unidos, o técnico alemão Berti Vogts expulsou Stefan Effenberg depois que o jogador fez um gesto obsceno à torcida da própria seleção, que recriminava seu desempenho durante a partida contra a Coreia do Sul.


"Muitos luxos lhe foram permitidos no passado, mas a paciência se esgotou", disse Vogts, que prometeu que Effenberg jamais voltaria a vestir a camisa da Alemanha enquanto ele fosse técnico. De forma arrogante, Effenberg respondeu que não ficaria "de joelhos na frente de Vogts, porque a seleção já não é algo vital para mim".


Nesse mesmo Mundial, o meio-campo romeno Ion Vladoiu teve o mesmo destino que Effenberg por "não acatar a disciplina da equipe".

Nenhum comentário: