quinta-feira, maio 06, 2010

Sport bate o Náutico por 1 a 0 e conquista o penta

Aldo Carneiro

Leandrão marca no primeiro tempo e garante a conquista do título do Campeonato Pernambucano de 2010 para o Leão

Dono da melhor campanha do Campeonato Pernambucano, o Sport venceu o Náutico por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (05), na Ilha do Retiro, e conquistou o pentacampeonato Pernambucano. O gol que garantiu a vitória rubro-negra foi marcado ainda no primeiro tempo pelo atacante Leandrão. Como o primeiro jogo o Leão havia perdido por 3 a 2, bastava apenas uma vitória simples para ficar com o título.


CAMPANHA
O titulo serviu para coroar a campanha leonina. Foram apenas duas derrotas, todas para o Náutico, nos 26 jogos – entre primeira fase, semifinais e final. O Leão só perdeu a invencibilidade no Estadual ao ser derrotado por 2 a 0 para o Náutico, com um time misto, na última rodada da primeira fase. A outra derrota foi justamente no primeiro jogo da final, quando foi batido por 3 a 2 nos Aflitos. O time chega ao título com 18 vitórias, seis empates e duas derrotas.


Os números positivos não para por aí. O Leão teve ainda o artilheiro da competição, Ciro – com 13 gols – e ainda o melhor ataque, com 54 gols marcados, e ainda a melhor defesa com apenas 20 gols sofridos. O Sport terminou ainda a primeira fase com 51 pontos, oito a mais que o vice-colocado Náutico. Nas semifinais, o time despachou o Central, quarto colocado, com duas vitórias. No jogo de ida, os rubro-negros massacraram a Patativa por 3 a 0, em Caruaru. Na partida na Ilha do Retiro, o Leão voltou a vencer, desta vez pelo placar de 1 a 0.


Agora, o time começa a pensar na Série B do Campeonato Pernambucano que começa já neste sábado (08). O Sport estreia contra o Brasiliense, no estádio Elmo Serejo Farias, em Taguatinga.


O JOGO
O técnico Alexandre Gallo surpreendeu ao manter os quatro atacantes usados também na partida dos Aflitos. E o Timbu foi para cima. Logo aos 2 minutos, Bruno Meneghel cruzou para a área e Carlinhos Bala acabou caindo. O árbitro Alício Pena Júnior acabou advertindo o atacante alvirrubro com cartão amarelo.


Precisando da vitória, o Sport também começou a partida com um esquema mais ofensivo. Givanildo Oliveira modificou o esquema e começou a partida com apenas dois zagueiros. Isael ganhou a vaga de César. Aos 4 minutos, veio a primeira chance rubro-negra. André Luiz cruzou para a área e Ciro cabeceou para a defesa de Glédson.


Aos 7 minutos, o Leão voltou a ameaçar. A bola lançada para a área sobra para Leandrão levantar na pequena área. Tobi subiu, mas cabeceou mal e facilitou a defesa de Glédson. A resposta Timbu foi quase imediata, num chute de Rodrigo Dantas, que acabou desviando em Daniel Paulista e indo para escanteio.


O jogo ficou tenso e as duas equipes não conseguiram criar jogadas de perigo. Aos 18 minutos, Bala até puxou um bom contra-ataque, mas ao invés de passar para Geílson, ele arriscou o chute de muito longe e facilitou a defesa de Magrão. Aos 23 minutos, o Sport voltou a assustar. Leandrão recebeu na intermediária e arriscou. Atento, Glédson desviou com a ponta dos dedos para mandar a bola para escanteio.


Mas aos 28 minutos, Gledson não teve como evitar o gol de Leandrão. Ciro recebeu livre, na entrada da área, e bateu com força. Glédson soltou e a bola sobrou para Leandrão, com o gol aberto, ter apenas o trabalho de tocar para a rede, abrindo o placar na Ilha do Retiro.


Aos 46 minutos, numa saída de bola errada, Ciro fica mano a mano com o zagueiro Vinícius. Mas, o atacante rubro-negro errou o passe para Ricardinho e acabou desperdiçando uma boa chance para o Leão.


O Sport voltou assustando para o segundo tempo. Logo após a cobrança que reiniciou a partida, Diego Bispo tocou errado e a bola sobrou para Leandrão. O atacante rubro-negro invadiu a área, mas acabou desarmado no momento do chute.


Após o susto, o Náutico, que voltou com Helton Luiz no lugar de Eduardpo Eré, tentou partir para cima, mas só conseguiu chegar na área em jogadas com a bola parada. Todas ficaram na zaga leonina. Aos 9 minutos, Givanildo Oliveira também precisou modificar a equipe. Isael e, cinco minutos depois, André Luiz, deixaram o campo lesionados para as entradas do atacante Dairo e do lateral Eduardo Ratinho.


Aos 14 minutos, após uma cobrança de escanteio ensaiada, Bala recebeu na área e fez o cruzamento para Magrão sair e ficar com a bola. Dois minutos depois o Timbu voltou a levar perigo. Rodrigo Dantas recebeu na área, mas acabou batendo em cima da zaga.


Precisando de pelo menos um gol, o Náutico partiu para cima, mas demonstrando bastante nervosismo, a equipe alvirrubra passou a arriscar chutes de longe e sem muita objetividade. O Sport recuou e passou a administrar o resultado. Tanto que Givanildo Olveira decidiu tirar Ciro, que reclamou de um problema muscular, pelo zagueiro César.


A mudança deixou o Leão ainda mais recuado, dando espaço para o Náutico seguir forçando o gol de empate. O Leão só voltou a ameaçar aos 37 minutos. Eduardo Ratinho cobrou falta para a área e Glédson desviou. A bola ainda sobrou para Leandrão, mas ele erro o chute e facilitou a defesa do goleiro alvirrubro.


Com o tempo correndo, o desespero do Náutico aumentou. A equipe passou a errar lances bobos e desperdiçar as oportunidades de ataque. Alexandre Gallo ainda tentou dar mais fôlego ao ataque com a entrada de Dinda no lugar de Bruno Meneghel, mas não houve tempo para buscar o empate, mesmo com os quatro minutos de acréscimo, e o Sport acabou comemorando o título na Ilha do Retiro. Antes do apito final e já nos acréscimos, Daniel Paulista e Zé Antônio acabaram expulsos.


FICHA DO JOGO

SPORT
Magrão; Júlio César, Igor, Tobi e André Luiz (Eduardo Ratinho); Daniel Paulista, Zé Antônio, Isael (Dairo) e Ricardinho; Ciro (César) e Leandrão
Técnico: Givanildo Oliveira.

NÁUTICO
Glédson; Eduardo Eré (Helton Luiz), Diego Bispo, Vinícius e Tinga; Ramirez, Hamilton e Carlinhos Bala; Bruno Meneghel (Dinda), Geílson e Rodrigo Dantas (Tárcio)

Técnico: Alexandre Gallo.

Local: Ilha do Retiro
Público: 32.826
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Assistentes: Jossemmar Diniz e Pedro Wanderley


Nenhum comentário: