segunda-feira, maio 03, 2010

Polêmica: Equipe da TV Clube presta queixa contra o Náutico por roubo e agressão verbal


O jornalista Roberto Nascimento informou ao Blog do Torcedor que sua produtora, a RN Produções, prestou queixa de roubo contra o Náutico, por conta do desaparecimento de uma fita e uma câmera, durante a cobertura da partida Náutico 3x2 Sport, no domingo, no estádio dos Aflitos.


Segundo Nascimento, da equipe de reportagem que foi agredida pelos dirigentes do clube, apenas a repórter Taluama Cabral apresentou uma queixa contra os dirigentes alvirrubros por agressão verbal.


O cinegrafista Manoel Felipe e o operador de imagem José de Barros optaram por não prestar queixa na Justiça, temendo alguma represália por parte de dirigentes e da torcida.


Roberto Nascimento contou que a diretoria do Náutico chegou a informá-lo que a equipe não iria mais trabalhar na cobertura dos jogos nos Aflitos. No entanto, voltaram atrás, e decidiram liberar. José de Barros e Manoel Felipe trabalharam normalmente no Náutico nesta tarde.


Ivan Rocha pede desculpa pelo Náutico e nega agressão física


Vice-presidente jurídico do Náutico, Ivan Rocha se pronuncia sobre a confusão que aconteceu na cabine de imprensa dos Aflitos, durante e ao término do Clássicos dos Clássicos.


Ivan Rocha pede desculpa em nome do clube pelas agressoes verbais e afirma que não houve agressão física. "Agressão física não houve. A queixa que está lá registrada é de agressão verbal. É bom deixar claro que não houve a participação do presidente do Náutico", disse, contrariando a versão da equipe da TV Clube.


"Primeiro queria dizer o seguinte. É importante que todo mundo esteja aqui. É importante que fique o aprendizado para o Náutico e para a comunidade que está aqui em Pernambuco. O clube pede desculpas formais pelo acontecido, mas a gente quer pontuar algumas coisas importantes. Muito se cobra profissionalismo dos clubes e dirigentes, mesmo eles trabalhando sem serem pagos. O profissionalismo tem que ser em todas as vias, e a gente acha que não houve profissionalismo de 100% das pessoas da imprensa, porque o profissionalismo faltou. Houve um excesso na reação", declarou o vice-presidente jurídico do Náutico.


Ouça a declaração na íntegra.

Sobre a fita não devolvida, Ivan Rocha afirmou, depois da gravação, que a fita não ficou na posse do clube, e sim dos torcedores que teriam invadido a cabine de imprensa. Esses torcedores teriam ido ao vestiário devolver apenas a câmera aos dirigentes do clube, já sem a fita.


O profissionalismo, de fato, tem que ser em todas as vias. Se o motobói gritou gol duas vezes, ele está errado, não deveria estar lá. No entanto, jamais a falta de profissionalismo de uma das vias justificaria a agressão da outra via. Isso é muito mais grave. Que as pessoas do Náutico envolvidas no caso aprendam a agir civilizadamente.

Nenhum comentário: