quinta-feira, maio 06, 2010

Joanna leva o ouro nos 400m medley



Entretanto, nadadora ficou longe do seu melhor tempo
No Troféu Maria Lenk, pernambucana venceu a prova com certa facilidade


A nadadora pernambucana Joanna Maranhão, do Minas Tênis Clube, é mesmo, de longe, a mais competente do País quando o assunto é o estilo medley. Na manhã de ontem, a atleta garantiu sua primeira medalha de ouro nos 400 metros medley pelo Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação - Troféu Maria Lenk 2010 -, mas ainda não conseguiu vencer sua luta contra o relógio, a mais voraz nos últimos anos. A esportista completou a prova em 4min44s31. Com facilidade, venceu as adversárias Julia Gerotto, do Paineiras, com 4min54s81, e Kristel Kobrich, que completou o pódio pelo Corinthians, com 4min55s14. Mesmo assim, ficou ainda longe do seu próprio recorde brasileiro, 4min40s00, conquistado nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004.

Ainda ontem, após o ouro pela manhã, a pernambucana nadou a eliminatória dos 400 metros livre no começo da noite e fez o terceiro tempo do balizamento (4min19s47), atrás de Sarah Correa, segunda marca com 4min22s20, e de Jessica Bruin Cavalheiro, primeira, com 4min26s09. Hoje, além da final dos 400 metros livre - onde ela deverá travar duelo pelo ouro sem se poupar -, Joanna disputa, ainda, a eliminatória dos 200 metros borboleta para, amanhã, iniciar a briga nos 200 metros medley.


Enquanto Joanna trava sua guerra pessoal com o tempo, outras pernambucanas caminham para construir a própria história. Também na tarde de ontem, Etiene Medeiros, do Nikita/Sesi, deixou para trás a má estreia nos 50 metros livre e manteve a regularidade na eliminatória dos 50 metros costas, sua melhor prova. A esportista fechou com 29s71, na terceira posição, atrás de Natália Diniz, do Clube Pinheiros, com 29s68, e da experiente Fábiola Molina, com 29s28, dona dos recordes sul-americano e brasileiro (27s70). Desde 2008, Etiene se mantem logo atrás de Molina. Logo mais, às 10h, ela disputará a semifinal. "Optamos por poupar um pouco a força na eliminatória para dedicar mais energia para a semifinal. Para amanhã (hoje), a intenção é melhorar o ritmo para subir uma posição e mantê-la até a final", contou o treinador Arilson Champam. "Fizemos uma análise muito boa da atuação dela. Avaliamos e fizemos uns ajustes. Ela está super bem, e acreditamos que vem coisa boa por aí", completou. Para ela, estão previstas, ainda, os 100 metros livre, com eliminatórias amanhã à tarde, e os 100 metros costas. Thatiane Quirino, que agora veste a camisa do Minas Tênis Clube, também passou para a semifinal dos 50 metros costas, só que com o décimo tempo.

Nenhum comentário: