quarta-feira, maio 05, 2010

Guerra de bastidores é entre presidentes do Sport e da FPF



Em meio os segredos de Givanildo Oliveira e Alexandre Gallo a guerra de bastidores atinge o Sport e a Federação Pernambucana de Futebol nas pessoas de seus dirigentes máximos - respectivamente Sílvio Guimarães e Carlos Alberto Oliveira. Tudo começou com as críticas de Guimarães ao regulamento e às arbitragens. Oliveira respondeu acusando o presidente do Sport de não estar presente nas reuniões do Conselho Arbitral e do Campeonato do Nordeste.

A confusão teve o segundo round nesta terça quando o mandatário da FPF divulgou documentos do início dos anos 1990. Antes, Oliveira disse, num programa de televisão, que Sílvio Guimarães, como presidente da Comissão de Arbitragem, ajudou o Santa a conquistar o Pernambucano de 90 - um gol legal do Sport foi anulado na prorrogação.

Para comprovar o que estava falando, Carlos Alberto divulgou um documento em que Sílvio é nomeado para a comissão de arbitragem pelo então presidente da FPF, Fred Oliveira em abril de 1989. A resposta do dirigente rubro-negro foi de indignação. "É mais fácil pegar um mentiroso do que um coxo. Ele não publicou o ato em que eu sou exonerado. Saí posteriormente e voltei efetivamente em 1991. Ele está querendo desviar o foco por causa desse regulamento esdrúxulo que prejudicou o Sport", atacou.

» Reposta da diretoria do Sport.

Ele também reclamou das arbitragens nos jogos contra o Náutico. "No primeiro jogo deixaram de marcar um pênalti. No segundo expulsaram nosso jogador depois que Bala puxou um jogador nosso pela camisa e nem levou amarelo. No último, houve aquele gol impedido."

Nenhum comentário: