sexta-feira, maio 14, 2010

Ganso diz que merecia uma vaga


Com personalidade, fugindo do lugar-comum, Paulo Henrique Ganso disse ontem que ele e Neymar mereciam defender a Seleção Brasileira na Copa da África do Sul pelo “futebol encantador” que têm mostrado desde o início do ano. O meia do Santos ainda cutucou o técnico Dunga, que deixou os Meninos da Vila Belmiro fora da lista de 23 nomes que defenderão o Brasil no Mundial.

Durante a convocação brasileira para o Mundial, na última terça-feira, Dunga defendeu a ausência dos dois jovens astros santistas com comentários negativos sobre a passagem de ambos pelas categorias de base da Seleção. Alegou que Ganso foi reserva no time Sub-20 e que Neymar deixou a desejar na equipe Sub-17, no ano passado.


Ganso reagiu ao comentário de Dunga. “Ele não está sabendo bem da seleção sub-20 que disputou o Mundial do ano passado. Fui titular em todos os jogos, pena que não voltamos com o título. No ano passado, eu estava ainda no começo de carreira. Era promessa. Hoje sou uma realidade”, destacou o meia, em entrevista por telefone.


E Ganso não parou por aí. “Futebol é momento, atravessamos uma grande fase, e ele (Dunga) poderia ter dado uma chance para nós dois. Se levasse a gente, estaríamos prontos”, garantiu o jogador de 20 anos, que teve papel decisivo na conquista do título do Campeonato Paulista pelo Santos e que vem brilhando nesta temporada.


Ele não fez questão de esconder o quanto doeu não ser convocado para o Mundial. “Fiquei triste”, admitiu Ganso, que entrou apenas na lista dos sete reservas, que poderão ser chamados apenas em caso de contusão de algum dos 23 selecionados para disputar a Copa. Por isso mesmo, ele mantém a esperança de ainda ir para a África do Sul.


“Esperança sempre tenho (de ser chamado). Mas não vou torcer que alguém se machuque para eu disputar meu primeiro Mundial”, enfatizou Ganso, que, apesar da decepção, promete continuar dando espetáculo com o time do Santos. “Agora, é continuar jogando esse belo futebol e mostrar para o povo que poderíamos ter ido”.

Nenhum comentário: