domingo, maio 02, 2010

Em vez do estádio, o restaurante do tio


Na adolescência, meia Élvis ganhava uns trocados ajudando os parentes

torcedor que acompanha das arquibancadas os jogadores dentro do gramado não imagina que os atletas tiveram outras atividades antes do futebol. Assim como a maioria da população brasileira, grande parte dos atletas é de origem humilde. Antes de se tornarem profissionais, muitos deles ralaram em outras áreas. Outros não, para ter uma renda, mesmo que bem pequena, na adolescência, trabalhavam para na horas vagas poderem gastar o seu próprio dinheiro. Essa era a rotina do meia Élvis, do Santa Cruz.

À reportagem da Folha de Pernambuco , o meia disse que nunca passou necessidade. Mas há dez anos, quando ainda frequentava a escola e sonhava em ser jogador de futebol, Élvis, junto com outros parentes, ajudou o tio em seu restaurante. "Isso foi quando eu tinha uns 14 ou 15 anos. Não era nada obrigatório, mas, às vezes, eu ia para ajudar o meu tio, que tinha um restaurante em um clube em Aldeia. De vez em quando, rolava uma graninha, mas não era nada demais. Saía uns quarentinha (R$ 40), cinquentinha (R$ 50). Dava para tomar um sorvetinho no final de semana", conta.

Sempre sincero, Élvis comenta que a ajuda no restaurante do tio tinha também outras intenções. Além de ficar na parte de dentro do balcão do restaurante, sempre que possível, ele também arrumava tempo para o lazer. Característica natural de todo adolescente, que passa mais tempo na rua do que em casa, o hoje meia do Santa Cruz gostava de ir ao clube para se divertir. "Lá, eu podia jogar bola, tomar banho de piscina, coisas que todo menino da minha idade fazia", declarou.

Quando, enfim, iniciou a carreira de jogador de futebol, o atleta, hoje com 25 anos, foi obrigado a fazer a sua primeira escolha na carreira. Levado por um irmão de um ex-dirigente tricolor para o Arruda, Élvis foi aprovado para fazer parte das categorias de base do Santa Cruz. Natural de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, o jogador não conseguiu conciliar a vida de atleta com os estudos, deixando a escola no primeiro ano do Ensino Médio.

Apesar de chegar ao clube com 18 anos, Élvis só conseguiu alcançar a grande fase da carreira nesta temporada, quando foi titular absoluto e um dos destaques da equipe comandada por Dado Cavalcanti. O nome dele é um dos que está na lista de 24 atletas que disputou o Estadual e a Copa do Brasil e vão se reapresentar no dia 17 de maio ao técnico tricolor.

Nenhum comentário: