quarta-feira, maio 05, 2010

EM BUSCA DA GLÓRIA


Dois times, um século de rivalidade, 11 guerreiros de cada lado, dois objetivos bem distintos e duas "nações", que depois de 16 anos, voltam a se encontrar numa batalha final , marcada para hoje, às 21h50, no campo da Ilha do Retiro. No meio dessa "guerra" entre Sport e Náutico, o principal objeto de cobiça aguarda o vencedor deste decisivo Clássico dos Clássicos: o troféu de campeão, que leva o nome de Taça Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Constituída de um globo de vidro e acrílico sustentado por uma estrutura dourada de bronze polido, a peça tão desejada pelos dois times poderá significar o pentacampeonato estadual para o Sport, ou, para o Náutico, muito mais que um simples título pernambucano, o fim do sonho dos leoninos pelo hexa, exclusivo e motivo de grande orgulho dos alvirrubros até hoje. Largando na frente na primeira batalha, nos Aflitos, o Timbu entra em campo com a vantagem de jogar por um empate, já que abateu o Leão por 3x2 em seus domínios. Mesmo se perder, mas a partir de 4x3, o Náutico também levantará a taça, já que esta fase do Estadual segue os mesmos moldes da Copa do Brasil, e gol marcado fora de casa é um dos principais critérios de desempate.

Do outro lado, para o Sport basta uma vitória simples por 1x0, ou por 2x1, para a taça ficar na Ilha do Retiro. Depois de estar sendo massacrado por 3x0 até os 21 minutos do segundo tempo do jogo passado, os rubro-negros marcaram dois gols e renasceram das cinzas para esta decisão. Caso os leoninos consigam devolver o placar de 3x2, a grande final será definida nas cobranças de pênaltis. "Se o primeiro jogo tivesse terminado 3x0, eu diria que ainda acreditávamos no título mais por uma formalidade, por ser profissional. Mas com essa nossa reação, eu digo com toda franqueza, estamos mais vivos do que nunca nessa briga", declarou Givanildo Oliveira.

A partida de hoje será a quarta entre a duas equipes neste ano. Nos dois primeiros confrontos, ainda pela fase de pontos corridos, um empate e uma vitória do Náutico. Na primeira ocasião, na Ilha do Retiro, um 1x1, com gols de Wilson e Hamilton. A partida ficou marcada pela confusão entre o zagueiro alvirrubro Diego Bispo e o atacante leonino Ciro, com ambos deixando o gramado expulsos.

No segundo encontro, o Leão tinha a Copa do Brasil como prioridade e resolveu entrar em campo com apenas quatro titulares. Resultado: fim de uma invencibilidade de 48 jogos em campeonatos estaduais, após sair de campo derrotado por 2x0.

Mas foi no terceiro e último jogo que o duelo tomou um verdadeiro ar de clássico. O Timbu foi para cima de maneira surpreendente, e a confiança foi tanta após o resultado que os alvirrubros não se furtaram de afirmar que os gols do Leão foram lances de sorte. Agora, jogando na casa do rival, o Náutico não quer mudar a postura. "Vamos jogar com inteligência, mas nada de ficar esperando o Sport atacar sempre. Isso é tudo que eles querem. Gallo vai arrumar uma nova surpresa, um novo esquema eficiente, que vamos levar em segredo até minutos antes do jogo", garantiu o atacante Carlinhos Bala.

Nenhum comentário: