sexta-feira, maio 14, 2010

Dia foi repleto de comemorações


Missa terminou com o padre puxando o “Cazá, cazá”
Os 105 anos de história do Sport foram brindados com uma programação especial, que teve como palco a sede do clube. Após a chamada Alvorada Rubro-negra, que despertou muitos recifenses, ontem pela manhã, com uma chuva de fogos, uma maratona de solenidades celebrou o aniversário do clube. A primeira delas foi a reinauguração oficial do mastro. O evento foi seguido de uma missa em ação de graças, celebrada no Nicho de Nossa Senhora de Fátima, que terminou com o padre puxando o tradicional “Cazá, cazá”. O ponto alto ficou, entretanto, para a apresentação da Orquestra Cidadã Meninos do Coque.

O salão social do clube serviu como espaço. Por volta das 20h, uma hora depois do previsto, os meninos subiram ao palco. A apresentação começou com a tradicional música “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga. Em seguida, o desembargador Nildo Nery, presidente do projeto e rubro-negro, comentou a iniciativa e a data especial para os leoninos. “Esses meninos são campeões em música com três anos e alguns meses. Eles estão concorrendo mundialmente na ONU (Organização das Nações Unidas) como a melhor prática de inclusão social”, disse. “Já estamos com 39 campeonatos. Agora, vamos rumo a deca. Não é hexa nem hepta, porque o Rubro-negro é bom de guerra”, acrescentou.


Depois da apresentação da orquestra, aconteceu o tradicional corte do bolo. Por fim, o dia de festejos do Sport foi encerrado com uma sessão solene do Conselho Deliberativo do clube.

Nenhum comentário: