sábado, abril 24, 2010

Pressão ainda sobrevoa Ilha


Sport // Eliminação da Copa do Brasil para o Galo ainda ronda o Leão, que se prepara para encarar a Patativa, em Caruaru


"Pernambucano é obrigação!". Ainda que tenha sido gritado por poucos integrantes da Torcida Jovem após o coletivo na Ilha do Retiro, a frase mostra que a pressão realmente subiu na Ilha do Retiro após a eliminação na Copa do Brasil, principalmente com a apática partida contra o Atlético-MG. Ontem, no único coletivo visando o jogo de ida da semifinal do Estadual, o técnico Givanildo Oliveira manteve a formação que enfrentou o Galo no mata-mata nacional. Agora, novamente contra um alvinegro (cujo mascote também é uma ave) e num jogo de ida e volta, os rubro-negros se preocuparam mais em conversar. Alguns jogadores sentiram a pressão do mau resultado na Copa do Brasil, como o lateral-direito Júlio César, extremamente vaiado na quarta-feira. Tanto que o ala foi defendido por Givanildo Oliveira na entrevista coletiva.



Júlio César vem sendo perseguido pelas vaias
"É difícil. Foram mais de 28 mil pessoas e dez ou 15 ficam puxando isso. Tem gente que não vem para torcer, mas só para ficar cobrando o tempo todo. Quanto ao Júlio César, ele foi vaiado logo no primeiro jogo. E isso não pode acontecer. Depois, coloquei Ratinho, e vaiaram também. Querem o que, que eu coloque Djalma Santos (bicampeão mundial com a Seleção)?", disse o técnico, com certa ironia. No coletivo, de cerca de 40 minutos, vitória dos titulares por 1 x 0, gol de Eduardo Ramos. Antes, uma longa conversa, com já havia ocorrido na quinta-feira.


Sobre pressão, Júlio César comentou que vem procurando não "ligar" para as vaias, mas reconheceu que este é o momento de maior pressão em sua carreira. E olhe que o lateral gaúcho já está com 31 anos. "Procuro não me importar. O Sport é grande e a cobrança sempre vai existir num clube assim. A minha resposta para essa fase tem que ser no campo, ajudando o grupo. E é o que eu espero fazer um bom jogo em Caruaru", afirmou o ala, que jogou 17 vezes no Estadual e marcou três gols.


Caravanas - Assim como aconteceu no primeiro turno, quando o jogo entre Central e Sport proporciou o maior público do ano no Lacerdão (11.671 pessoas), a torcida rubro-negra deverá marcar presença maciça mais uma vez no estádio alvingero. A expectativa é de pelo menos 5 mil rubro-negros em Caruaru (que vão ficar no tobogã do estádio). Várias caravanas já vêm sendo organizadadas pelos torcedores. O ônibus da tradicional Bafo do Leão, que sairá às 10h do domingo, custa R$ 20. A caravana da orquestra Treme-Terra (R$ 25) deve sair no mesmo horário. A concentração das duas torcidas vai acontecer na Ilha do Retiro. O retorno para o Recife será imediatamente após a semifinal.



Nenhum comentário: