terça-feira, abril 06, 2010

Nielson não apitará mais no Estadual


Nielson vinha sendo apontado como um dos melhores do apito neste Pernambucano

Árbitro foi punido por invalidar, de maneira equivocada, um gol do Vera Cruz


Não teve perdão. A Federação Pernambucana de Futebol (FPF), adotando uma política de tolerância zero, resolveu, ontem, punir o árbitro Nielson Nogueira Dias. No último domingo, ele invalidou um gol legítimo do Vera Cruz, que acabou empatando por 1x1 com o Sete de Setembro, no Gigante do Agreste. Uma cabeçada dada pelo atacante do Galo das Tabocas, Gilberto, aos 30 minutos da segunda etapa (quando o Lobo Guará vencia o duelo), entrou, de fato, na baliza, mas acabou furando a rede, o que fez o juiz se equivocar na decisão. O erro custou caro para os comandados do técnico Maurício Simões, e mais ainda para o “homem de preto”. O castigo foi o seu afastamento até o final desta edição do Campeonato Estadual.

Nielson, que estava sendo auxiliado por Charles Rosa e Roberto José na ocasião, era apontado como um dos árbitros de destaque deste Pernambucano e havia apitado, sem grandes contestações, dois clássicos: Santa Cruz x Náutico (no Arruda) e Sport x Santa Cruz (na Ilha do Retiro), ambos válidos pelo segundo turno do torneio. Entretanto, o bom retrospecto não foi capaz de evitar a “geladeira”. “Ele (Nielson) é um rapaz sério, mas errou. Se deixarmos de puni-lo, vamos estar sendo coniventes com os erros”, afirmou o presidente da FPF, Carlos Alberto Oliveira. “Se outro juiz errar, que autoridade eu vou ter para exigir alguma coisa?”, acrescentou o mandatário da entidade máxima do futebol no Estado.


O gol não validado por Nielson trouxe prejuízos para os vitorienses. Deixaram de vencer o Sete, principal concorrente na briga contra o rebaixamento, e permanecem no penúltimo posto da tabela de classificação, com somente 15 pontos marcados. O Galo das Tabocas pretende tentar a anulação ou remarcação da partida diante dos garanhuenses. Porém, ainda não levou o caso para o Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco (TJD-PE). De acordo com o presidente do Vera Cruz, Fernando José Nogueira, nenhuma decisão vai ser tomada de forma precipitada. “Vamos buscar ainda uma orientação com o nosso Departamento Jurídico. Estamos analisando a situação”, afirmou o cartola. “Acho que amanhã (hoje), deveremos ter alguma posição sobre isso”, completou.


Esta não foi a primeira vez que o Galo teve um gol legítimo invalidado no Campeonato Pernambucano. No Estadual de 2007, quando o time enfrentou o Central, no Lacerdão, o meia Rivelino chutou uma bola de longe, que também entrou furando as redes adversárias. Mas, equivocadamente, o árbitro Wilson Souza alegou que ela tinha passado por cima do travessão e deu tiro de meta para o escrete de Caruaru. Aquela partida acabou 2x1 em favor da Patativa. Na ocasião, os dirigentes do Galo entraram com uma representação no TDJ-PE e até conseguiram recuperar os pontos perdidos. Em vão. O Central, por sua vez, ganhou, em segunda instância, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e manteve o resultado do jogo intacto. Contudo, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) acabou punindo Wilson Souza, afastando-o dos gramados até o fim daquela competição.

Nenhum comentário: