sexta-feira, abril 23, 2010

Mala para o Central causa polêmica


Confraria Timbu de Ouro oferece premiação à Patativa para eliminar o Sport

Uma mala de cor ainda indefinida, mas com um conteúdo capaz de gerar discórdia e opiniões diferentes dentro dos quatro clubes classificados para as semifinais do Campeonato Pernambucano. Na tarde de ontem, a Confraria Timbu de Ouro - grupo de torcedores do Náutico formado por empresários e profissionais liberais - anunciou que está disposta a pagar um bônus aos jogadores do Central, adversário do Sport no mata-mata, caso a Patativa consiga eliminar o Leão da competição.

A partir desse fato, informado no site oficial da Confraria, a discussão foi armada. O Náutico, oficialmente, tratou de se desvincular do movimento. “O Náutico não tem absolutamente nada a ver com isso. É um grupo de torcedores, e eles têm o direito de fazer o que quiserem com o dinheiro deles. Eles preferiram incentivar o Central”, declarou o presidente alvirrubro, Berillo Júnior.

O mandatário do Náutico ficou sabendo da informação através da reportagem da Folha de Pernambuco e não escondeu a insatisfação e surpresa com a história. “Para deixar claro, esse grupo é formado por pessoas que fizeram oposição ao nosso grupo nas eleições. A nossa diretoria não está envolvida em nenhum negócio de mala”, arrematou Berillo.

Para o assessor de Imprensa da Confraria, Pedro Tinoco, o Central vai ganhar um grande incentivo para derrubar o Leão nas semifinais. “A quantia vai ser muito interessante para eles. E, dependendo do resultado do primeiro jogo em Caruaru, o valor pode até aumentar. Os alvirrubros podem se mobilizar mais na próxima semana se o primeiro placar for animador”, declarou.

Questionado se a Confraria Timbu de Ouro vai oferecer também um dinheiro extra para os jogadores alvirrubros, em caso de vitória no mata-mata contra o Santa Cruz, Tinoco desenvolveu uma linha de raciocínio inusitada. “Nosso foco agora é o Central. Uma vez que eles estejam classificados, nós vamos voltar todas as nossas forças para o Náutico”.

SPORT

O presidente rubro-negro, Sílvio Guimarães, não se mostrou muito surpreso com o aparecimento dessa modalidade controversa de incentivo. Para ele, não há motivos para preocupação extra. Mas o dirigente leonino tratou de desdenhar da atitude do grupo de torcedores do Alvirrubro. “Primeiro, o Náutico deveria se preocupar em pagar os seus funcionários, para depois pensar em se preocupar com o adversário do Sport”, ironizou Guimarães.

Nenhum comentário: