terça-feira, março 09, 2010

Sport // Ciro em uma nova e excelente fase

Três empates seguidos que esgotaram a paciência da torcida do Sport. Diante dos intermediários Ypiranga e do laterna Sete de Setembro e depois no clássico contra o Náutico. Esse último em casa, e com péssimo futebol. O questionamento sobre a qualidade do time havia ficado em xeque. Bastaram quatro vitórias seguidas para mudar isso. Com um ataque funcionando a todo vapor, com 15 gols nesse período. Cinco deles marcados pelo meia Eduardo Ramos (que no domingo fez um hat-trick contra o Porto) e outros cinco de Ciro. Esse aí foi além. A sua boa fase está relacionada diretamente com essa boa fase do Rubro-negro. Contra o Porto, Ciro fez um gol de falta e assumiu a artilharia isolada do Pernambucano, com 9 gols. Entrou de vez nesta briga, apesar de não mudar uma linha do seu discurso sobre o objetivo na competição ("Mais do que ser artilheiro, eu quero é ser campeão de novo pelo Sport. Isso está em primeiro lugar e não vai mudar nunca"). Para completar, o goleador leonino chegou a 11 gols na temporada, se tornandoo maior artilheiro do Brasil até o momento, ao lado de Borges, do Grêmio. E só não está isolado nessa disputa também porque perdeu um pênalti.


Curiosamente, a vida de Ciro começou a mudar no Rubro-negro justamente diante do Porto, no primeiro turno. Em 20 de janeiro, ele marcou um gol nos descontos, na vitória por 3 x 1, e encerrou um jejum de 1.027 minutos sem um golzinho sequer com a camisa do Sport. A pressão era enorme sobre o atacante. De jogador com propostas dos exterior de cerca de R$ 10 milhões no início da Libertadores, Ciro terminou o ano de forma frustrante, sem marcar gols no Brasileirão.


As propostas diminuíram (o Grêmio chegou a tentar o seu empréstimo de graça), e a vaga no time titular ficou distante. No começo do Estadual, Ciro estava esquentando o banco, com Nádson e Wilson como titulares. Mas a dupla sofreu com as lesões. Wilson, por exemplo, ficará fora dos gramados durante seis meses por causa de um cirurgia no joelho. Com a chance forçada, Ciro aproveitou. Fisicamente mais forte (com três quilos a mais de massa muscular), o atacante passou aguentar as trombadas com a defesa.


Os gols foram surgindo. Alguns bem incomuns até então, como de cabeça e de falta, feito contra o Porto. Esse último gol, no domingo, foi o 30º do atacante com a camisa rubro-negra desde a antológica estreia em 31 de julho de 2008, quando entrou em campo contra o Ipatinga, pela Série A, e, aos 19 anos, sofreu um pênalti e depois ainda marcou um golaço, com direito a choro na comemoração. Ciro almeja, agora, superar a sua marca de 2009, quando marcou 15 gols pelo Rubro-negro.

Nenhum comentário: