terça-feira, março 09, 2010

Polícia abre inquérito e investiga Raimundo Queiroz


Atual diretor remunerado do Santa Cruz rebateu tudo o que foi falado contra ele
Acusações são do período em que ele presidia o Goiás


Quando parece que a paz vai chegar ao Arruda, vem algo de fora que tumultua o ambiente. Menos de 24 horas após o Santa Cruz derrotar a Cabense por 1x0, o diretor de Futebol remunerado, Raimundo Queiroz, foi informado que a Polícia Civil goiana abriu um inquérito para investigar a gestão do dirigente no Goiás. Entre 2003 e 2006, Raimundo Queiroz foi presidente do clube esmeraldino e, de acordo com a denúncia, teria cometido algumas irregularidades e deixado um prejuízo de R$ 16 milhões. Ele é acusado de estelionato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, agiotagem e crime contra a ordem tributária. Mais quatro pessoas estariam envolvidas.

O diretor de Futebol do Santa Cruz disse ser inocente e que ainda possui todas as contas da sua gestão registradas em cartório. Segundo Raimundo Queiroz, os atuais dirigentes do Goiás estariam com ciúme do trabalho realizado por ele no clube esmeraldino. Por conta desse sentimento, a diretoria goiana teria resolvido atingir sua honra.


Além dos cinco crimes, Raimundo Queiroz teria usado indevidamente o cartão corporativo do clube - o que foi negado por ele - e deixado uma dívida ao contrair um empréstimo com a empresa JF Sports. “Fundamentalmente eram tabulados contratos de empréstimos que não eram contabilizados pelo Esporte Clube Goiás e isto demonstra que havia na conduta do dirigente, na época o senhor Raimundo Queiroz, e das pessoas que colaboraram, a intenção de lesar o clube e se beneficiarem ilicitamente desses valores monetários”, disse o delegado Manoel Borges


A vida de Raimundo Queiroz no Goiás começou ainda na década de 80, quando tinha um cargo na diretoria de Esporte Amador. No decorrer do tempo, ele passou pela diretoria de Futebol até se tornar presidente por dois mandatos. “A minha passagem com grande competência mexeu muito com as pessoas de Goiás, que não conseguem superar isso. Até hoje, o torcedor grita o meu nome”, afirmou. Na visão do dirigente, os balancetes dos mandatos dele são bem claros, e a denúncia seria em cima de “documentos plantados, com a intenção de prejudicar um cidadão de bem”.


Visivelmente chateado e sem querer citar nomes, o responsável pelo futebol do Santa Cruz declarou que vai processar o clube e as pessoas envolvidas no caso. Morando no Recife, ele designou um advogado na Região Centro-Oeste para tomar conta da situação. “Nunca fui convocado para prestar qualquer esclarecimento e minha administração foi a mais transparente do Goiás. As dificuldades lá estão grandes, e eles estão só querendo mascarar a incompetência que lá existe, me usando mais uma vez para que isso aconteça. Mas isso não é verdade e não é nada além das maldades que já fizeram. É só mais uma”, disse.

Nenhum comentário: