quarta-feira, março 24, 2010

Joanna embarca para os Jogos Sul-Americanos


Pernambucana estreia amanhã na competição, em Medellín

Destino: Medellín, Colômbia. É para lá que a nadadora pernambucana Joanna Maranhão embarca hoje para um novo desafio, o primeiro importante desta temporada. Ela se junta a outros cinco mil esportistas - destes, 562 brasileiros - para disputar a nona edição dos Jogos Sul-Americanos, iniciados desde o último dia 19. A competição, que segue até o próximo dia 30, conta com dezenas de modalidades e não é considerada de alto nível técnico, mas está sendo vista como um laboratório para a Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016.

Até então, cerca de 45 modalidades - entre elas, judô, vôlei, hipismo, atletismo, softbol, tiro com arco e esgrima - já entraram em cena e, com ela, esportistas iniciantes ou, até mesmo, os já reconhecidos, como é o caso de Diego Hypólito, símbolo da ginástica brasileira. Já a natação tem estreia marcada somente para amanhã, quando Joanna cai na água a partir das 10h para uma maratona de três provas, todas em fases eliminatórias, os 400 metros livre, os 200 metros medley e, para fechar o dia, o revezamento 4x200 metros livre. “Estou entrando nestas provas de craw (nado livre) para sentir melhor meu desempenho. Não é minha especialidade e, como esta competição não é nenhuma seletiva, decidi nadar o maior número de provas. Terei muitas adversárias neste estilo, mas vou dar o meu melhor”, falou a pernambucana, considerada uma das esportistas mais experientes do campeonato, junto a nomes como o também nadador Thiago Pereira e o mesa-tenista Hugo Hoyama.

Mas é somente no sábado e no domingo que Joanna deverá ter seus melhores desempenhos, com as eliminatórias dos 400 metros medley, considerada sua especialidade, e dos 200 metros livre e 200 metros borboleta. “Estou animada para as provas de medley porque é uma oportunidade de eu rever a Georgina (Bardach). Faz tempo que não falo com ela. Não sei como ela está. Mas com a presença dela sei que tenho uma adversária de alto nível”, completou a esportista, referindo-se a sua principal rival nas piscinas das competições internacionais, a nadadora argentina Georgina Bardach, medalhista pan-americana em Santo Domingo, 2003, e no Rio de Janeiro, em 2007, além de ser dona de dois bronzes olímpicos nos 400 metros medley.

Nenhum comentário: