quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Que Quarta-feira ingrata!

Foi de fazer chorar o que Sport e Náutico fizeram com seus torcedores. Oh, Quarta-feira ingrata! Que, no caso do Timbu e do Leão, poderia passar depressa que não iria contrariar. Às vésperas do tão esperado Clássico dos Clássicos entre as duas equipes, marcado para este sábado, na Ilha do Retiro, o Leão cansou de perder gols e vacilou no apagar das luzes, voltando de Garanhuns com apenas um ponto do 2x2 com o lanterna Sete de Setembro. Já o Timbu tropeçou feio no frevo, ou melhor, no Porto, e foi derrotado em pleno Aflitos, por 2x1, de virada. Apesar dos tropeços, os leoninos chegaram aos 22 pontos, aumentando para três a vantagem sobre os alvirrubros.

Pela segunda rodada consecutiva, o Sport deu sorte ao azar e apenas empatou com o lanterna Sete de Setembro, ontem, em 2x2, no Estádio Gigante do Agreste, em Garanhuns. Porém, para alegria dos rubro-negros, o Náutico mais uma vez recusou a chance de assumir a liderança do Estadual, perdendo em pleno Aflitos, para o Porto. Com isso, o Leão aumentou para três pontos a vantagem para o Timbu, vice-líder. Sem tempo para curar a “ressaca” de Carnaval, os leoninos vão praticamente com força total para o clássico contra os alvirrubros, neste sábado. A única peça que deve ficar de fora é o atacante Nadson, lesionado. O volante Eduardo Ramos, o meia Ricardinho e o atacante Wilson têm retorno praticamente garantido.

Ontem, mesmo enfrentando o lanterna da competição, o Sport não teve vida fácil. Jogando mais na força do que na qualidade, a limitada equipe setembrina não se rendeu e conseguiu equilibrar as ações se defendendo bem. Mas quem começou dando as ordens na partida foi o Leão. Logo aos oito minutos, na jogada dos laterais leoninos, Dutra cruzou da esquerda na cabeça de Júlio César, que mandou na trave esquerda de Silvio. Desorganizado, o Sete tentava chegar ao gol de Magrão nos chutes de longa distância. Aos 19, Laércio mandou uma bomba do meio da rua, e a bola explodiu no travessão rubro-negro.

As emoções ficaram guardadas para a etapa final. Com cinco minutos de bola rolando, Júlio César cruzou, e o pequenino Juninho cabeceou no canto direito de Silvio para abrir o placar. Empolgado com o gol, o Leão partiu para cima, e Dairo, quatro minutos depois, deu um belo drible no marcador, mas perdeu a chance de ampliar. Aos 15, os donos da casa resolveram aprontar. Diego cobrou falta na área, a bola resvalou no zagueiro Índio e entrou, após falha de Magrão na saída do gol: 1x1.

Enquanto a torcida alviverde comemorava, um minuto depois, Júlio César recebeu dentro da área e chutou para colocar o Sport na frente. Abusando de perder chances de matar a partida, o Leão acabou sofrendo com o velho jargão de “quem não faz, leva”. Aos 47, Jardel acertou lindo chute no ângulo esquerdo de Magrão, para decretar o 2x2 no apagar das luzes.

Nenhum comentário: