sexta-feira, fevereiro 19, 2010

O Clássico das contradições

leivinha.  Ricardo Fernandes/DP/D.A Press - 17/6/07

No topo da classificação, Sport e Náutico se enfrentam atravessando momentos de instabilidade e dúvida


São as duas melhores equipes do estado e um clássico que vale a liderança do Campeonato Pernambucano. Dois times ainda oscilantes, sem padrão de jogo definido, capazes de trair a confiança do torcedor a qualquer momento. Amanhã, a Ilha do Retiro será palco de um Clássico dos Clássicos marcado pela contradição. Um duelo entre Sport e Náutico no qual a inexistência de favorito deve-se mais às deficiências do que às qualidades.



Leivinha já avisou que vai escalar o jovem Phillip na vaga do suspenso Carlinhos Bala
Basta observar o desempenho dos rivais. Mesmo invictos, é difícil para os rubro-negros aceitarem os quatro empates com equipes do interior. Os oito pontos desperdiçados custaram a tranquilidade. O time possui a melhor defesa e o melhor ataque da competição, mas os índices não parecem refletir em campo. Nos últimos dois jogos, o Leão deixou a vitória esbarrar nos erros de finalização e em falhas na marcação, até então incomuns. Erros repetidos, preocupação crescente.


Serve de consolo a situação do Náutico. A angústia alvirrubra ficou nítida com a demissão do treinador Guilherme Macuglia, ontem. A atitude repentina traduz a segunda colocação do time no Estadual. O Timbu não conquistou nenhuma vitória com facilidade na competição. Foram sempre obtidas em jogos acirrados, na maioria das ocasiões na base do brilho individual de algum atleta, quase sempre de Carlinhos Bala, ausência certa no duelo de amanhã - está suspenso por causa do terceiro cartão amarelo.


Como nem todo dia os heróis aparecem, a trajetória alvirrubra também está repleta de tropeços. Foram três derrotas para equipes do interior em dez rodadas e um empate. As duas mais recentes, diante do Central, em Caruaru, e Porto, nos Aflitos, custaram ao time a liderança da competição. Bastaria ter vencido um dos dois para que o time ultrapassasse o Sport na classificação. Ao contrário, as derrotas fizeram a distância aumentar. Não tanto. Era de um, passou para três pontos. Tropeços conjuntos que garantiram a emoção de mais um Clássico dos Clássicos.


Titulares - É comum os treinadores esconderem as escalações diante dos clássicos. A tradição deve ser mantida. No Náutico, o suspense deverá surtir efeito. Com a mudança no comando técnico, é difícil prever como será escalado o Timbu. A única certeza é a ausência de Carlinhos Bala. No Sport, desfalques somente especulativos. O atacante Wilson será reavaliado hoje para saber se tem condições de atuar. Mas ele deve voltar ao time, assim como os meias Eduardo Ramos e Ricardinho. Mesmo sem revelar a escalação, o técnico Givanildo Oliveira não promoverá mudanças drásticas em seu time.

Nenhum comentário: