sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Macuglia cai, e Gallo é o nome

Alexandre Gallo teve uma passagem turbulenta pela Ilha do Retiro, em 2007
Diretoria não perdeu tempo e, após demissão, já procurou o ex-técnico leonino

Nos Aflitos, os dirigentes alvirrubros não pensam em perder tempo. No mesmo dia em que demitiu o técnico Guilherme Macuglia, que não resistiu ao tropeço diante do Porto, na última quarta-feira, o Náutico já avançou nas negociações com Alexandre Gallo, que, até o fechamento desta edição, ainda não havia sido anunciado oficialmente. “Diria que o nome mais forte no momento para assumir o Náutico é o de Gallo. Já houve uma negociação no período da tarde. Propusemos algumas bases salariais, ele já fez uma contraproposta. Conversamos também sobre outros aspectos do futebol. Acho que está tudo bem encaminhado”, informou o diretor de futebol do clube, Eduardo Loyo.


Em 2009, Gallo passou pelo Bahia e pelo Santo André, mas sem conseguir grandes feitos. Ele é conhecido pelo público pernambucano principalmente por conta do seu trabalho no Sport, onde criou uma relação de amor e ódio com os torcedores. O início promissor, com a conquista do Campeonato Pernambucano 2007, foi praticamente esquecido durante a saída turbulenta do treinador do Leão para o Internacional. Até hoje, ele é chamado de traidor por grande parte dos rubro-negros.


Na tarde de ontem, foi o momento da diretoria alvirrubra explicar a demissão de Guilherme Macuglia. Na sua curta passagem pelo Náutico, o treinador comandou a equipe em dez partidas, conseguindo seis vitórias, um empate e três derrotas, ou seja, 63% de aproveitamento. Na análise fria dos números, o treinador tem um desempenho relativamente bom. Por exemplo: Muricy Ramalho - ídolo alvirrubro -, que também foi demitido ontem, conquistou apenas 49% dos pontos no Palmeiras. O problema, segundo os dirigentes alvirrubros, não foram as três derrotas no Estadual, sendo duas consecutivas. A postura da equipe é que estava desagradando.


“Normalmente, aqui no Brasil, quando um time perde nada está funcionando. E quando ganha está tudo bem. Para a nossa diretoria, não é assim que funciona. O time estava na segunda posição no Campeonato Pernambucano. Mas a avaliação foi que o desempenho não estava agradando. Achamos que esse é o momento certo para uma mudança no comando”, disse o superintendente de futebol do clube, Gustavo Mendes.


No Clássico dos Clássicos de amanhã, o auxiliar técnico do clube, Leivinha, vai ser o treinador da equipe. “O Leivinha é o nosso técnico interino, tem o apoio da diretoria e vai comandar o time no jogo contra o Sport. Ele sabe que nós estamos procurando outro treinador”, disse Mendes.


Mesmo no olho do furacão, Leivinha mostrou a tranquilidade de sempre. “O tempo para o trabalho vai ser muito pequeno (o Náutico faz o único trabalho tático para o jogo na manhã de hoje). O principal objetivo é motivar os jogadores. Eles têm que acreditar na possibilidade da vitória, pois o grupo tem qualidade”, comentou o treinador.

Nenhum comentário: